Menu fechado
Literatura Poesia Helena Machado de Assis Vestibular1

Literatura Poesia Helena Machado de Assis

 

Literatura Poesia Helena Machado de Assis

 

Helena Machado de Assis

Helena

Em Andaraí, Conselheiro Vale falece
Deixa testamento para família
Reconhece Helena como filha
E lhe dá herança que merece.

Helena, moça muito formosa
Ganha de Estácio a simpatia
D. Úrsula, de início não via
Que a moça era muito virtuosa.

Eugênia, a qual Estácio namora
É completamente diferente
Tudo pra ela, tem que ser na hora
Moça dengosa e inconsequente.

Dr Camargo, amigo da família
Homem sempre muito oportunista
Pai de Eugênia, esposo de Tomásia
Faz de sua filha uma grande isca.

Diante de um sentimento estranho
Helena e Estácio ficarão
Não sabem ainda o tamanho
Do amor que lhes envolverão.

Usando o monólogo interior
Refletem num conflito interno
Mas não esquecem esse amor
Que continuará então eterno.

Pra este amor esconder
Helena namora Mendonça
Estácio não pode crer
Que possui amigo da onça

A protagonista do romance
Guarda um grande segredo
Sai sempre meio de relance
Com seu cavalo, bem cedo

Estácio, andando um dia na estrada
Encontra Vicente e a irmã Amélia
O criado sai na frente como vigia
D`uma casa, que pela moça fora inspirada.

A desconfiança paira no ar
O que vira naquele momento
O irmão não consegue aceitar
Resolve certificar seu pensamento

A casa era muito simples,
Questionamento então se deu
Aquele homem que ali estava
Não era nenhum Romeu.

No regresso à seu lar
Encontra sua irmã, seu amor
Ela, feliz, vai com ele conversar
Mas ele, nela só vê pavor.

Tudo vem à tona no outro dia
Helena conta seu triste destino
E entrega-lhes cartas que recebia
Do seu pai, que era seu estimo.

No centro de toda revelação
Se destaca uma mãe e esposa fria
Que se torna sem coração
Para ganhar um mundo de regalia.

Vítima de um Sistema
Helena muito entristece
Todos ali tem o mesmo lema:
Que toda essa situação se esquece

A moça com tanta má sorte
Vê todo seu sonho no ar
Busca então na morte
Seus problemas solucionar.

Literatura Poesia Helena Machado de Assis

Maria José de Assis

Publicado em:Turbinando

Você pode gostar também