Menu fechado
Resumo de Livro Obras por Vestibular1

Ocidentais de Machado de Assis

 

Ocidentais de Machado de Assis

Ocidentais de Machado de Assis – Nota Informativa

Com a edição de Ocidentais, completa-se o ciclo dos quatro livros de poesia de Machado de Assis editados nestas páginas.
Diferentemente dos três outros, Falenas, Crisálidas e Americanas, o presente texto não teve publicação isolada, tendo surgido nas páginas finais da primeira edição das Poesias completas.

Ao contrário dos livros anteriores, esta obra de Machado de Assis teve várias edições, tanto isoladamente quanto no corpus de suas obras completas, em vários momentos e em diversas casas editoras.
É em Ocidentais de Machado de Assis que encontramos três importantes contribuições do autor, tradutor de poesias.

Aqui está o famoso monólogo de Hamlet, o poema de Edgar Allan Poe, “O Corvo” e, não menos importante, a tradução do Canto XV, “O Inferno”, da Comédia, de Dante.

Sem dúvida, bastavam esses exercícios para que o autor de Dom Casmurro merecesse especial atenção do leitor, pelo cuidado e competência com que a sensibilidade do poeta captou o espírito de cada um daqueles textos clássicos.

Além disso, Machado de Assis exerce-se em uma diversidade de metros e transita por vários temas, em especial o poema “Suave mari magno”, provavelmente motivado por uma situação pessoal.
Em Ocidentais de Machado de Assis, também aqui o leitor poderá encontrar alguns de seus melhores sonetos.

Nesta edição, seguimos as lições da edição princeps, com a modernização da língua e atualização ortográfica.

Ocidentais de Machado de Assis – Mundo Interior

Ouço que a natureza é uma lauda eterna
De pompa, de fulgor, de movimento e lida,
Uma escala de luz, uma escala de vida
De sol à ínfima luzerna.

Ouço que a natureza, — a natureza externa–
Tem o olhar que namora, e o gesto que intimida,
Feiticeira que ceva uma hidra de Lerna
Entre as flores da bela Armida.

E contudo, se fecho os olhos, e mergulho
Dentro de mim, vejo à luz de outro sol, outro abismo,
Em que um mundo mais vasto, armado de outro orgulho,
Rola a vida imortal e o eterno cataclismo,
E, como o outro, guarda em seu âmbito enorme,
Um segredo que atrai, que desafia – e dorme.

Leia a biografia de Machado de Assis

 

Ocidentais de Machado de Assis

Publicado em:Resumos de livros

Você pode gostar também