Menu fechado
Resumo de Livro Obras por Vestibular1

Os Melhores Poemas de Álvares de Azevedo

 

Os Melhores Poemas de Álvares de Azevedo

Álvares de Azevedo é um dos vultos exponenciais do Romantismo. Embora tenha morrido aos vinte anos, produziu uma obra poética de alto nível, deixando registrada a sua incapacidade de adaptação ao mundo real e sua capacidade de elevar-se a outras esferas através do sonho e da fantasia para, por fim, refugiar-se na morte, certo de aí encontrar a paz tão almejada.

Grande leitor, Álvares de Azevedo parece ter “devorado” tanto os clássicos como os românticos, por quem se viu irremediavelmente influenciado. Embebedendo-se na dúvida dos poetas da geração do mal du siècle, herdou deles o pendor do desregramento, para a vida boêmia e para o tédio.

Contrabalança a influência de Byron com os devaneios de Musset, Hoffman e outros.

Sua obra apresenta linguagem inconfundível, em cujo vocabulário são constantes as palavras que expressam seus estados de espírito, a fuga do poeta da realidade, sua busca incessante pelo amor, a procura pela vida boêmia, o vício, a morte, a palidez, a noite, a mulher… Em “Lembrança de morrer”, está o melhor retrato dos sentimentos que envolvem sua vida, tão próxima de sua obra poética: “Descansem o meu leito solitário/ Na floresta dos homens esquecida,/ À sombra de uma cruz e escrevam nela:/ – Foi poeta, sonhou e amou na vida.”
Trechos escolhidos

Os Melhores Poemas de Álvares de Azevedo – A Lagartixa

A lagartixa ao sol ardente vive
E fazendo verão o corpo espicha:
O clarão de teus olhos me dá vida,
Tu és o sol e eu sou a lagartixa.
Amo-te como o vinho e como o sono,
Tu és meu copo e amoroso leito…
Mas teu néctar de amor jamais se esgota,
Travesseiro não há como teu peito.

Os Melhores Poemas de Álvares de Azevedo – A T
Estrela de mistério! Em tua fronte
Os céus vevela, e mostra-me na terra,
Como um anjo que dorme, a tua imagem
E teus encantos onde amor estende
Nessa morena tez a cor de rosa
Meu amor, minha vida, eu sofro tanto!
O fogo de teus olhos me fascina,
O langor de teus olhos me enlaguesce,
Cada suspiro que te abala o seio
Vem no meu peito enlouquecer minh’alma!

Os Melhores Poemas de Álvares de Azevedo – Adeus, Meus Sonhos!
Ai, Jesus! Que por um olhar, donzela,
Eu poderia morrer
Dos teus olhos pela luz?
Que morte! Que morte bela!
Antes seria viver!
Ai, Jesus! Que por um beijo perdido
Eu de gozo morreria
Em teus níveos seios nus?
Que no oceano dum gemido
Minh’alma se afogaria? Ai, Jesus!

Os Melhores Poemas de Álvares de Azevedo – Amor
Quand la mort est si belle, Il est doux de mourir. V. Hugo
Amemos! Quero de amor
Viver no teu coração!
Sofrer e amar essa dor
Que desmaia de paixão!
Na tu’alma, em teus encantos
E na tua palidez
E nos teus ardentes prantos
Suspirar de languidez!

Os Melhores Poemas de Álvares de Azevedo – Anjos do Céu
As ondas são anjos que dormem no mar,
Que tremem, palpitam, banhados de luz..
São anjos que dormem, a rir e sonhar
E em leito d’escuma revolvem-se nus!
E quando de noite vem pálida a lua
Seus raios incertos tremer, pratear,
E a trança luzente da nuvem flutua,
As ondas são anjos que dormem no mar!
Que dormem, que sonham- e o vento dos céus
Vem tépido à noite nos seios beijar!
São meigos anjinhos, são filhos de Deus,
Que ao fresco se embalam do seio do mar!
E quando nas águas os ventos suspiram,
São puros fervores de ventos e mar:
São beijos que queimam… e as noites deliram,
E os pobres anjinhos estão a chorar!
Ai! quando tu sentes dos mares na flor
Os ventos e vagas gemer, palpitar,
Por que não consentes, num beijo de amor
Que eu diga-te os sonhos dos anjos do mar?

Os Melhores Poemas de Álvares de Azevedo – ideias Íntimas
Fragmento
La chaise où je m’assieds, la natte où je me couche,
La table ou je t’écris
Mes gros souliers ferrés, mon baton, mon chapeau,
Mês libres pêle-mêle entassés sur leur planche.
De cet espace étroit sont tout l’ameublement. LAMARTINE, Jocelyn

Os Melhores Poemas de Álvares de Azevedo – Lágrimas de Sangue
Taedet animam meam vitae meae. Jó

Meu Deus! só tu podias
À alma que se perdeu bradar de novo:
Ressurge-te ao amor!
Malicento, da minhas agonias
Eu deixaria as multidões do povo
Para amar o Senhor!
Do leito aonde o vício acalentou-me
O meu primeiro amor fugiu chorando.
Pobre virgem de Deus!

Os Melhores Poemas de Álvares de Azevedo – Se eu Morresse Amanhã
Se eu morresse amanhã, viria ao menos
Fechar meus olhos minha triste irmã;
Minha mãe de saudades morreria
Se eu morresse amanhã!
Quanto glória pressinto em meu futuro!
Que aurora de porvir e que manhã!
Eu pendera chorando essas coroas
Se eu morresse amanhã!

Os Melhores Poemas de Álvares de Azevedo – Lágrimas da Vida

On pouvait à vingt ans le clouer dans la bière
– Cadavre sans illusions… THÉOPHILE GAUTIER
Je me suis assis en blasphémant sur le bord
du chemin. Et je me suis dit: – je n’irai pas plus
loin. Mais je suis bien jeune encore pour mourir,
n’est-ce pas, Jane? GEORGE SAND, Aldo

Se tu souberas que lembrança amarga
Que pensamento desflorou meus dias,
Oh! tu não creras meu sorrir leviano,
Nem minhas insensatas alegrias!
Quando junto de ti eu sinto, às vezes,
Em doce enleio desvairar-me o siso,
Nos meus olhos incertos sinto lágrimas…

Os Melhores Poemas de Álvares de Azevedo – Soneto VI

Os quinze anos de uma alma transparente,
O cabelo castanho, a face pura,
Uns olhos onde pinta-se a candura
De um coração que dorme, inda inocente…
Um seio que estremece de repente
Do mimoso vestido na brancura…

Os Melhores Poemas de Álvares de Azevedo – I
De tanta inspiração e tanta vida
Que os nervos convulsivos inflamava
E ardia sem conforto…
O que resta? uma sombra esvaecida,
Um triste que sem mãe agonizava…
Resta um poeta morto!
Morrer! e resvalar na sepultura.
Frias na fronte as ilusões-no peito
Quebrado o coração!
Nem saudades levar da vida impura
Onde arquejou de fome… sem um leito!
Em treva e solidão!
Tu foste como o sol; tu parecias
Ter na aurora da vida a eternidade
Na larga fronte escrita…
Porém não voltarás como surgias!
Apagou-se teu sol da mocidade
Numa treva maldita!
Tua estrela mentiu. E do fadário
De tua vida a página primeira
Na tumba se rasgou…
Pobre gênio de Deus, nem um sudário!
Nem túmulo nem cruz! como a caveira
Que um lobo devorou!…

 

Os Melhores Poemas de Álvares de Azevedo

Publicado em:Resumos de livros

Você pode gostar também