Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá - Vestibular1

Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá

Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá de Lima Barreto

 

Resumo Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá de Lima Barreto

Narrado por Augusto Machado, o romance Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá, propõe a traçar um esboço de biografia de Gonzaga de Sá, amigo do narrador, que vai alternando o relato biográfico com suas próprias reflexões sobre a vida e os homens, com a denúncia das mazelas da vida brasileira, com a crônica mordente a sociedade carioca.

A comercialização da cultural; a linguagem descuidada dos jornais; os falsos intelectuais que só sabiam mostrar o radicalismo de suas convicções nas mesas dos cafés, macaqueando ideias e tiques da cultura francesa;

A Abolição que sem realizar as esperanças dos negros, prolongou as agruras dos mestiços; a frustração da República a serviço da oligarquia, apoiada numa burocracia alienada, num militarismo estreito e numa imprensa impotente, quando não venal- eis o pano de fundo das reminiscências que o céptico e desencantado Augusto Machado vai traçando do amigo Gonzaga de Sá.

A oposição ao estilo oficial, ao purismo das gramáticas normativas, ao pedantismo, já se manifesta no cacófato ostensivo do título do romance- Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá- (“emijota”) e se desdobra na aguda percepção da fragilidade da vida literária de então. Observe esta reflexão de Gonzaga de Sá, falando pelo próprio Lima Barreto:

Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá
A nossa emotividade literária só se interessa pelos populares do sertão , unicamente porque são pitorescos e talvez não se possa verificar a verdade de suas criações. No mais , é uma continuação do exame de português, uma retórica mais difícil, a se desenvolver por este tema sempre o mesmo: Dona Dulce, moça de Botafogo em Petrópolis, que se casa com o Dr. Frederico. O comendador seu pai não quer porque o tal Dr. Frederico , apesar do doutor, não tem emprego. 

Dulce vai à superiora do colégio de irmãs. Esta escrevera mulher do ministro, antiga aluna do colégio, que arranja um emprego para o rapaz. Está acabada a história. É preciso não esquecer que Frederico é moço pobre, isto é, o pai tem dinheiro, fazenda, ou engenho, mas não pode dar uma mesada grande.

Está aí o grande drama de amor em nossas letras, e o tema de seu ciclo literário. Quando tu verás, na tua terra, um Dostoievski, uma George Eliot, um Tolstoi – gigantes destes em que a força de visão, o ilimitado de criação, não cedem o passo à simpatia pelos humildes, pelos humilhados, pela dor daquelas gentes donde às vezes não vieram- quando?”

 

Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá de Lima Barreto

Vestibular1

O melhor site para o Enem e de Vestibular é o Vestibular1. Revisão de matérias de qualidade e dicas de estudos especiais para você aproveitar o melhor da vida estudantil. Todo apoio que você precisa em um só lugar!

Deixe uma resposta