Características das Praias - Vestibular1

Características das Praias

Características das Praias

Revisão de Geografia: Características das Praias

As praias são formadas por sedimentos inconsolidados, delimitadas de um lado pela região onde a passagem das ondas não mais movimenta os sedimentos do assoalho marinho, profundidade esta denominada base da onda (veja Ondas) e do outro, também onde, de modo geral, não ocorre movimentação de areia, região denominada berma (veja definição mais adiante), ou ainda por alguma feição do relevo como uma falésia, por exemplo.

Uma praia pode ainda ser subdividida em três regiões: face praial, antepraia (também chamada de estirâncio ou estirão) e pós-praia, de acordo com sua localização em relação às alturas das marés.

A face praial compreende a região que vai do nível de maré baixa até além da zona de arrebentação, em geral, até a base da onda.

Antepraia é a região entremarés, ou seja, entre o nível da maré baixa e o da maré alta. É, portanto, a porção da praia que sofre normalmente a ação das marés e os efeitos do espraiamento e refluxo da água.

A região pós-praia localiza-se fora do alcance das ondas e mares normais, e somente é alcançada pela água quando da ocorrência de marés muito altas ou tempestades. Nesta região formam-se terraços denominados bermas, que apresentam uma seção transversal triangular, com a superfície de topo horizontal ou em suave mergulho em direção ao continente e a superfície frontal com mergulho acentuado em direção ao mar.

No pós-praia pode ainda aparecer uma região com maior inclinação, denominada escarpa praial, causada pela ação de ondas normais de maré alta que cortam a praia, originando essa abrupta mudança em sua inclinação. A berma e a escarpa não se formam na antepraia devido à continua passagem das ondas, não permitindo assim qualquer feição permanente.

A praia é constituída por 3 elementos: o material, uma área costeira na qual este material se move e uma fonte de energia para movimentá-lo.

O material mais comum formador de uma praia é a areia cujos grãos geralmente variam de 0.2 a 2 milímetros de diâmetro. O mineral predominante é o quartzo que, além de ser abundante, é dos mais resistentes a degradação física (abrasão) entre os minerais comuns. O feldspato, outro mineral comum na crosta terrestre, pode também ser um constituinte importante na formação das praias, embora seja de mais fácil fragmentação e decomposição química.

As areias da praias litorâneas são geralmente originárias dos rios que erodem os continentes e transportam seus fragmentos até o litoral, onde o mar encarrega-se de distribuí-los pela costa. Pode-se também encontrar-se praias formadas por conchas ou outros materiais, bastando que tenham um tamanho, densidade e quantidade suficientes para tanto. Em certos casos, pode ocorrer a deposição de determinados minerais úteis ao homem, como o caso da concentrações de monazita em praias dos estados do Espírito Santo e da Bahia.

A principal fonte de energia para a movimentação da areia é proveniente das ondas, que por sua vez se originam devido à ação de ventos sobre a superfície do mar. Quanto mais forte for o vento, maior a duração e maior a área na qual ele atua, maiores serão as ondas que chegam à costa. Quando ocorre um temporal próximo a região costeira, as ondas serão fortemente escarpadas, podendo mudar rapidamente a configuração de uma praia.

Há forte correlação entre a altura média das ondas, a inclinação da praia e a granulometria (tamanho do grão do sedimento). Quando as ondas são grandes, removem os grãos menores deixando somente os maiores e mais difíceis de carregar. Restando apenas os grãos maiores, a praia tende tornar-se mais inclinada, pois as ondas ao se quebrarem na praia, rapidamente penetram pela areia, já que aumentam o espaço entre os grãos (espaço intersticial). Assim, a onda deixa maior quantidade de grãos de areia do que carrega de volta.

As barras submarinas têm profundo efeito nas ondas que chegam a praia, as ondas maiores se quebram na barra mais extensa, se refazem na depressão entre esta e a próxima, prosseguindo até a costa como ondas menores que se rompem nas barras interiores ou na superfície da praia. Assim, as barras agem como um filtro de ondas, rompendo e reduzindo as mais altas e permitindo a passagem das menores. Em praias com pequena inclinação e com uma série de barras, as ondas rompem-se e se refazem repetidamente, originando zonas de arrebentação de até 1,5 quilômetros. Características das Praias

Os maiores problemas na manutenção de uma praia não são produzidos pelo movimento sazonal de areia da berma para as barras submarinas e vice-versa, mas pelo movimento de areia paralelo à costa. As ondas geralmente se aproximam da orla marinha formando um ângulo, e tendem a ser refratadas ou dobradas pelos contornos submarinos, que fazem a linha das ondas tornar-se paralela à linha da costa. As ondas, porém, geralmente não são totalmente refratadas, ocasionando com isso uma corrente denominada de deriva litorânea, que surge apenas na região de arrebentação.

Como toda a região litorânea é muito dinâmica, deve-se ter cautela com quaisquer tipos de construções que bloqueiam a movimentação de areia. Assim, construções como piers ou molhes devem ser acompanhadas por estudos oceanográficos que assegurem o não impedimento dos fluxos de água e areia na região. Muros para bloquear a invasão de água nas marés altas em edificações costeiras pode alterar também profundamente a praia na qual esse muro foi erguido .

Outro tipo de movimentação de água verificado com frequência em praias é a chamada corrente de retorno. Uma das principais causas para a ocorrência desta é a convergência de duas correntes de deriva litorânea em um ponto ao longo da praia, que, quando ocorrem, se encontram e fluem em direção ao mar, na forma de uma corrente estreita e forte.

Outra causa para a existência da corrente de retorno ocorre quando ondas mais altas que a média se rompem em sucessão rápida e elevam o nível da água dentro de uma barra submarina; a água pode voltar tão energeticamente ao mar que, algumas vezes, rompe a barra em um lugar estreito, produzindo a corrente em sentido oposto à praia. Características das Praias.

 

Veja também: Revisão de Geografia: Região Costeira do Brasil

Revisão de Geografia: Características das Praias

Acesse as seções do Enem e de Vestibular!

Vestibular1

O melhor site para o Enem e de Vestibular é o Vestibular1. Revisão de matérias de qualidade e dicas de estudos especiais para você aproveitar o melhor da vida estudantil. Todo apoio que você precisa em um só lugar!

Deixe uma resposta