Menu fechado
Crescimento Vegetativo no Brasil Geografia Vestiular1

Revisão de Geografia: Crescimento Vegetativo no Brasil

 

Geografia: Crescimento Vegetativo no Brasil

Resumão – Revisão da Matéria de Geografia – Revisando seus conhecimentos
Geografia: Crescimento Vegetativo no Brasil

Revisão de Geografia: Crescimento Vegetativo no Brasil

 

Crescimento Vegetativo no Brasil

Crescimento Vegetativo no Brasil:
– Elevado;
Causas:
– Taxa de natalidade é elevada, em redução lenta;
– Taxa de mortalidade é elevada, em redução rápida;

Taxa de Natalidade:
Elevada:
– Política Natalista do Estado, como o salário família, auxílio a natalidade,…;
– Religião (as instituições, em sua maioria, é natalista);
– Baixo nível de instrução;
Em redução lenta: (É lenta pois nenhum dos fatores é 100% eficaz)
– Urbanização (mudança de mentalidade da população – processo lento);
– Casamentos tardios;
– Migrações internas;
– Arrocho Econômico – Principal – O custo é muito elevado na criação de filhos;

Taxa de Mortalidade:
Elevada:
– Más condições de vida – Periferia e nova dinâmica mundial que provoca estresse, obesidade,… ;
– Urbanização;
– Violência;
Em redução rápida:
– Urbanização + avanço da Bioquímica – Pós Segunda Guerra Mundial;
Distribuição:
– Irregular;
Causas:
– Colonização – Inicia-se com o aumento populacional na região litorânea com o ciclo da economia açucareira, depois com a pecuária no sertão nordestino. Essa concentração maior na faixa litorânea caracterizou ainda mais com o ciclo da mineração e depois com o café;
– Ciclos econômicos;
– Meios de comunicação: e Transporte: Dificulta a interiorização e permanece ainda hoje;
Consequências:
– Industrialização do Sudeste: As outras regiões passam a fornecer além de matéria-prima, fornece principalmente mão de obra, o que determinaria no aumento populacional no SE. A industrialização é consequência da distribuição populacional irregular, mas é causa da acentuação desta. As outras regiões passam a ser repulsivas de população;
– Maior Desenvolvimento na Faixa Litorânea;
Tendências:
– A partir dos anos 70 houve uma maior mobilidade em relação ao centro-norte;
– O governo passa a organizar a economia no interior do Brasil (Norte) tentando desafogar a grande concentração populacional no SE, como o projeto da Calha Norte. Esses projetos vieram primeiro para atender o capital estrangeiro (capital externo que patrocinou a ditadura) e com isso permite uma maior dinamização da economia, desafogando os grandes centros;
– Depois da Amazônia vão surgindo outras Fronteiras Agrícolas (áreas novas de atração), como foi do NE para o SE, depois para o Centro-Norte,…;
Causas da Tendência:
– Projetos Agro minerais criados pelo Estado;
– Mercado de terras favorável ;
Consequências da tendência:
– Ocupação da última fronteira Agrícola – Mudança no sentido do fluxo migratório, em direção aos grandes centros (Periferia de cidades do NE, SE e CO); (Aspecto Interno)
– Inchaço nos Grandes Centros- Baixa qualidade de vida; (Aspecto Interno)
– Modelo econômico mundial (Neoliberal) – Baixa qualidade de vida; (Aspecto Externo)
Crescimento:
– Movimento Vertical;
– Taxa de Natalidade – Taxa de Mortalidade = Crescimento Vegetativo;
– Imigração – Emigração;

Migração:
– Imigração: Entrada de alguém no estado diferente do que deixou;
– Emigração: Saída de pessoas para um estado diferente;
– Transumância: Movimento de época em época. É um movimento periódico determinado pelo clima (Sazonal);
– Movimento Pendular: Vai e volta, mas em um espaço de tempo mais rápido;
– Êxodo Rural: Saída do homem do campo;

Êxodo Rural:
Êxodo Rural
Desenvolvidos
Subdesenvolvidos
Causas
Intensa Mecanização
Repulsiva: Más condições de vida, concentração de terras, CLIMA;
Atrativas: “Miragem Urbana”;
Consequências
Campo: Alta Produtividade;
Cidade: Geralmente ocorre a absorção da mão de obra (Desemprego é devido principalmente a automação)
Campo: Queda na produção (baixa nos produtos de subsistência, necessidade de mecanização para aumentar produção;
Cidade: Desemprego, subemprego. Crise em geral;
– A causa principal que leva ao êxodo rural no Nordeste é o clima, a seca;
– Essa mão de obra barata que vai para a cidade caracteriza eleitores muito interessantes para os políticos, já que seu nível de instrução é baixo. Por isso tarda em resolver tal problema;
Obs.: A mão de obra desqualificada que é característica do Brasil é um dos fatores que impedem os investidores no setor produtivo, pois essa não é mais visada pelo grande capital, e sim a mão de obra qualificada;
Emigração e Imigração, atualmente, praticamente não interferem mais no crescimento vegetativo da população brasileira.

Revisão de Geografia: Crescimento Vegetativo no Brasil

Publicado em:Geografia,Matérias,Revisão Online

Você pode gostar também