Menu fechado
Revisão de Português: Faq Português 2 em Vestibular1

Revisão de Português: Faq Português 2

Português: Faq Português 2

Resumão – Revisão da Matéria de Português – Revisando seus conhecimentos
Português: Faq Português 2

Revisão de Português: Faq Português 2

 

Faq Português 2

Uso do Pleonasmo

Pleonasmo é a repetição do mesmo conceito. Ele pode ser “vicioso” quando aplicado de forma redundante. Exemplos: “entrar para dentro”; “subir para cima”, etc. O pleonasmo também pode ser uma figura de estilo se usado como “ênfase”. Exemplo: “vi com meus próprios olhos”; “pisei com meus próprios pés”.

Cores compostas: Em cores compostas formadas por adjetivo + adjetivo, só o segundo elemento varia.

Escreva:
Roupas azul-claras, cadeiras verde-amareladas
Exceções: azul-celeste e azul-marinho são invariáveis

Não escreva: Roupas azul-marinho, cadeiras azul-celeste

À medida x Na medida: À medida que significa à proporção que, ao mesmo tempo em que, conforme.
Na medida em que corresponde a tendo em vista que.

Escreva:
À medida que o tempo passava, sentia-se melhor.
Na medida em que não havia provas, saímos da escola.

Não escreva:
À medida que o trabalho terminou, ele foi passear.
Na medida em que chovia, as ruas iam se alagando.
Jamais escreva À medida em que (esta locução não existe)

Ao contrário: A locução ao contrário só deve ser usada quando a situação indicar oposição, no mesmo sentido de ao invés de. Quando a situação for de substituição ou alternativa, use diferentemente, de modo diferente ou em vez de.

Escreva:
Ela esqueceu as regras gramaticais.
Ele esqueceu-se das regras gramaticais.

Não escreva:
Ela esqueceu de virar à direita no sinal.
Ele lembrou de comprar o leite.

Regência: Não use a mesma preposição para verbos que têm regências diferentes.

Escreva:
Ela viu o desfile e gostou dele.
Muitos eleitores analisaram o candidato e votaram nele.

Não escreva:
Ela viu e gostou do desfile de ontem.
Muitos eleitores analisaram e votaram no candidato.

Debaixo de x De baixo: Debaixo é sempre seguido da preposição de e significa sob, contrário de acima. De baixo, separado, só pode ser usado em oposição à cima.

Escreva:
Escondeu-se debaixo da mesa.
É um rapaz que veio de baixo.

Não escreva:
Começou a reforma debaixo para cima.
O garoto saiu debaixo da cadeira.

De que algo é feito: Não se usa a preposição em para indicar o material de que alguma coisa é feita. A preposição a ser usada é de.

Escreva
Relógio de ouro, blusa de seda, tapete de lã; calça de algodão;
camisa de cetim, calça de gorgorão, minissaia de helanca

Em função de: Não confunda em função de com em razão de, por causa de. Em função de só deve ser usada com a ideia de finalidade ou de dependência.

Escreva:
Vivia em função da família.
Preparei o relatório em função das características do mercado.

Não escreva:
As inundações ocorreram em função do entupimento do bueiro.
Em função das chuvas de ontem, o trânsito ficou caótico.

E nem: E nem pode ser usado em dois casos:
1) Se antes da expressão houver uma afirmação.
2) Se antes da expressão houver uma negação e e nem não trouxer sentido de adição.

Escreva:
É o que sempre promete e nem (mas nem) sempre realiza;
Ele não foi, e nem por isso cancelaram o espetáculo.

E sim: E sim significa mas.
Por isso o advérbio sim não pode estar entre vírgulas.
A única vírgula possível é antes do e.

Escreva: Maria não foi à feira, e sim ao supermercado.

Qualquer: É impróprio o uso de qualquer em frases negativas no lugar de nenhum.

Escreva:
O time não tem nenhuma possibilidade de vitória.
O time não tem possibilidade alguma de vitória.

Não escreva:
O time não tinha qualquer possibilidade de vitória.

 

Ao invés de x Em vez de: Ao invés de significa ao contrário de, só é usado para eventos ou situações opostas. Em vez de significa em lugar de, é usado para indicar substituição.

Escreva:
Ao invés de virar à direita, ele enveredou pela esquerda.
Em vez de seguir a carreira do pai, preferiu estudar astrologia.

Não escreva:
Ao invés de terminar a pesquisa, ela foi dormir.

Junto a: Use a locução junto a apenas quando equivaler a perto de ou a adido a

Escreva:
Minha mãe sentou-se junto ao irmão e chorou.
O programa atualiza os arquivos no servidor.

Não escreva:
O programa atualiza os arquivos junto ao servidor.
Ele fez uma pesquisa junto aos representantes sindicais.

Mais bem x Melhor: Antes de verbo no particípio, o correto é empregar mais bem em vez de melhor.

Escreva:
Esta cena foi mais bem encenada do que a outra.

Não escreva:
Esta cena foi melhor encenada.

 

O mesmo: É incorreto o uso de mesmo e suas flexões como substituto de pronome ou substantivo

Escreva:
Fomos ao teatro no sábado.
Ele estava lotado.

Não escreva:
Fomos ao teatro no sábado.
O mesmo estava lotado.

A partir de: A partir de significa a começar de, a datar de e marca o início de algo no tempo e no espaço. Além disso, a locução carrega uma noção de continuidade. Não use a partir de com o sentido de com base em ou para introduzir eventos pontuais.

Escreva:
A seleção dos alunos aconteceu com base nas notas.
Vargas implanta, com um golpe de Estado, o Estado Novo.

Não escreva:
A seleção dos alunos foi feita a partir da indicação de professores.
Vargas implanta, a partir de um golpe de Estado, o Estado Novo.

Por conta de: Não use por conta de como sinônimo de por causa de, em razão de, mas no sentido de a cargo de, sob a responsabilidade de.

Escreva:
A elaboração da planta ficou por conta do doutor Ruy.
Por causa do novo trabalho, o pai não poderá tirar férias.

Não escreva: Por conta do novo trabalho, o pai não poderá tirar férias.

Próximo x Seguinte: Use o adjetivo próximo e suas flexões apenas para designar aquilo que seja seguinte ao momento atual, o futuro do presente. Use o adjetivo seguinte para designar o que (se) segue; o que vem ou ocorre depois; o subsequente. Nesse caso o ponto de referência não é o presente.

Escreva:
As próximas vezes serão iguais.
O assassino de Laura só será mostrado no próximo capítulo.

Não escreva:
As próximas vezes foram iguais.

Próximo a, próximo de: Não varia se for adjunto adverbial (se estiver modificando o verbo). Varia se for adjetivo – e será adjetivo em duas situações: o quando houver verbo de ligação e próximo, portanto, for predicativo. o quando próximo estiver modificando um nome, for adjunto adnominal.

Escreva:
Não conseguiu chegar próximo à área adversária.
A nave aterrissou próximo à minha casa.
Aurora estava próxima da rua onde nasceu.

Gerúndio e vírgulas: Não use vírgula antes do gerúndio que descreve o modo como algo foi feito ou antes de gerúndio que introduz uma ação simultânea à do verbo anterior.

Escreva:
Costuma resolver os problemas profissionais mudando de emprego.
Gostava de dirigir ouvindo música. Sempre falou mexendo os braços.
Ponha vírgula antes do gerúndio que introduz uma ação que é consequência da ação expressa pelo verbo anterior ou uma ideia de continuidade.

Escreva:
As nuvens se formaram aos poucos, cobrindo toda a cidade.
A ginástica reforça a musculatura das pernas, aumentando seu diâmetro.

Senão x Se não: Escreve-se se não, em duas palavras, quando a expressão equivaler a: caso não, quando não.
Escreve-se senão, numa única palavra, quando a expressão significar ao contrário, de outro modo.

Escreva:
Se não estiver ouvindo, falarei mais alto.
Muitos dos setores, se não todos, já começaram os trabalhos.
Batalhe, senão você não passará no vestibular.

Seu, sua: O artigo definido (o/a) é usado no lugar do possessivo (seu/sua) antes do nome de partes do corpo, peças de roupa, faculdades do espírito e relações de parentesco.

Escreva:
Esqueceu completamente a avó.
Laís mexeu a cabeça e sorriu.
Passou o braço no ombro do seu pai e choraram juntos.

Voltar a ler Revisão de Português: Faq Português – parte UM

Revisão de Português: Faq Português 2

 

Publicado em:Matérias,Português,Revisão Online

Você pode gostar também