Gravitação Universal 2 - Vestibular1

Gravitação Universal 2

Revisão de Física: Gravitação Universal 2

 

Física: Gravitação Universal 2

Resumão – Revisão da Matéria de Física – Revisando seus conhecimentos
Física: Gravitação Universal 2

 

Revisão de Física: Gravitação Universal 2

 

Gravitação Universal parte DOIS

 

Sistema Planetário

PLANETA é qualquer um dos nove maiores objetos que se movimentam em torno do Sol. A Terra é um planeta que se desloca em volta do Sol uma vez por ano. Contando a partir do Sol, os planetas são Mercúrio, Vênus Terra, Marte, Júpiter, Saturno, Urano, Netuno e Plutão. O Sol, os planetas e seus satélites (luas), e objetos menores chamados asteroides, meteoros e cometas constituem o sistema solar.
O Sol e as estrelas são esferas gigantescas e brilhantes de gases quentes.
Os planetas são corpos escuros e sólidos, muito menores que o Sol e as estrelas. A principal diferença entre os planetas e as estrelas reside no fato de que as estrelas produzem seus próprios calor e luz, enquanto os planetas não.

Toda luz e quase todo calor dos planetas procede do Sol. Seis dos planetas – Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter, Saturno e Urano – são suficientemente luminosos para serem vistos da Terra sem um telescópio.
Os planetas e as estrelas parecem muito no céu noturno, mas existem duas maneiras de diferencia-los. Em primeiro lugar o planeta brilha com luz constante, e as estrelas dão impressão de faiscar. Em segundo lugar, os planetas mudam suas posições em relação às estrelas. Esse movimento foi inicialmente notado pelos gregos, que chamaram os objetos moveis planetas, que significa errantes.

Os planetas diferem muito em dimensão e na distância do Sol. Todos reunidos pesam menos que 1/100 da massa do Sol. O diâmetro de Júpiter, o maior planeta, é aproximadamente quase /10 do diâmetro do Sol. E ainda assim, Júpiter tem quase 30 vezes a dimensão Mercúrio, o menor planeta. A Terra e os três outros planetas mais próximos do Sol são até certo ponto semelhantes em dimensão. São chamados planetas telúricos (semelhantes a Terra). Os quatros planetas maiores estão muito mais afastado do Sol e são denominados grandes planetas. Os astrônomos conhecem pouco a respeito de Plutão, e não classificam em nenhum dos dois grupos.

Os astrônomos não acreditam que exista qualquer planeta mais afastado do que Plutão. Mas estão quase certos de que a maioria das estrelas do universo tem planetas que rodam ao seu redor. Existem mais de 100 bilhões de estrelas na galáxia (grupo de estrelas) que inclui o Sol, e mais de 100 bilhões de outras galáxias podem ser vistos no universo. Imagine que uma estrela de cada galáxia tivesse um planeta como a Terra, e que existisse vida inteligente em um de cada milhão desses planetas. Existiriam 100 mil planetas com vida inteligente.

 

Como os Planetas se movem

Vistos da Terra, os planetas e as estrelas se movem para o oeste através do céu. Uma pessoa com um telescópio para observar um planeta é obrigada a gira-lo constantemente para manter o planeta sob visão. De noite para noite, alem de seu movimento através do céu, cada planeta muda levemente para o leste sua posição em relação às estrelas. Em determinadas épocas, a posição de um planeta pode deslocar-se temporariamente para o oeste, mas sempre volta a sua mudança regular para o leste.

Os planetas variam em dimensão de Júpiter, que tem um diâmetro 11 vezes maior que a Terra, a Mercúrio, que tem um diâmetro menor que a metade do diâmetro terrestre.

Os eixos dos planetas, em linhas continuas, são linhas imaginarias em torno das quais os planetas giram. O eixo de um planeta não é perpendicular a sua trajetória em torno do Sol, mas inclina-se em relação à posição perpendicular, em linhas interrompidas. As inclinações de Mercúrio e Plutão não são conhecidos.

Na órbita do sol. Todos os planetas se deslocam em volta do Sol na mesma direção. Três leis do movimento dos planetas descrevendo suas órbitas foram publicadas no sec. XVII pelo astrônomo alemão Johanes Kepler.

A Primeira Lei de Kepler afirma que os planetas se movem em órbitas elípticas (de forma oval). Em consequência disso, os planetas estão um pouco mais próximos do Sol em alguns pontos de suas órbitas que em outros. Atinge 152.100.000 km do Sol em seu afélio (ponto mais afastado do Sol).
A Segunda Lei de Kepler também é conhecida como lei das áreas. De acordo com esta lei, uma linha imaginaria entre o Sol e um planeta passa através de áreas iguais em períodos de tempo iguais. Quando um planeta esta em seu ponto mais próximo do Sol, a linha passa através de uma larga, mas curta, porque o planeta se move mais depressa ali. Quando o planeta esta em seu ponto mais distante do Sol e se move mais devagar, a linha passa através de uma área estreita, mas longa, em igual período de tempo.

A Terceira Lei de Kepler postula que o período orbital (o tempo necessário para que um planeta gire em torno do Sol) de um planeta depende de sua distância média do Sol. De acordo com essa lei, o resultado do quadrado do período dividido pelo cubo da distância é o mesmo para todos os planetas. Por exemplo, um planeta quatro vezes mais distante do Sol que outro planeta leva oito vezes mais tempo para girar em torno do Sol. Essa lei foi utilizada outrora para encontrar a distância média de um planeta ao Sol depois de ter sido medido seu período orbital.

Continuar lendo Revisão de Física: Gravitação Universal parte TRÊS

Voltar a ler Revisão de Física: Gravitação Universal parte UM

Revisão de Física: Gravitação Universal 2

Vestibular1

O melhor site para o Enem e de Vestibular é o Vestibular1. Revisão de matérias de qualidade e dicas de estudos especiais para você aproveitar o melhor da vida estudantil. Todo apoio que você precisa em um só lugar!

Deixe uma resposta