Menu fechado
O Universo parte 6 Revisão de Geografia Vestibular1

Revisão de Geografia: O Universo parte 6

 

Geografia: O Universo parte 6

Resumão – Revisão da Matéria de Geografia – Revisando seus conhecimentos
Geografia: O Universo parte 6

Revisão de Geografia: O Universo parte 6

 

Geografia e O Universo parte 6

Geografia e Universo – Movimentos da Lua

Rotação: realiza-se em torno do próprio eixo, com duração de 27 dias, 7 horas e 43 minutos.
Translação: realiza-se ao redor da Terra em 27 dias, 7 horas e 43 minutos.
Revolução: movimento que a Lua realiza acompanhando a Terra ao redor do Sol, no período de um ano.

A perfeita sincronia entre os movimentos de rotação e translação faz a Lua apresentar sempre a mesma face voltada para a Terra.

 

Fases da Lua

A Lua não possui luz própria, mas brilha porque reflete a luz solar. Uma metade da Lua está sempre iluminada pelo Sol e a outra metade está sempre na escuridão. Da mesma maneira, a Terra tem sempre uma metade iluminada e outra mergulhada na escuridão da noite.

À medida que a Lua viaja ao redor de nós, vemos diferentes porções de sua superfície iluminada. Assim, a Lua parece mudar de forma.
Estas diferentes formas são as fases lunares. Um completo ciclo de fases lunares leva 29,5 dias. Ele vai de Lua Nova à Lua Cheia, e de volta à Lua nova, recomeçando o ciclo.

• Lua Nova
É aquela em que não enxergamos nosso satélite natural no céu durante a noite. Isso acontece porque a face da Lua iluminada pelo Sol não está voltada para a Terra.

• Lua Crescente
É quando a Lua está quase na mesma posição do Sol, que acaba iluminando uma pequena parte dela. Se olharmos para o céu nessa fase, veremos um quarto de nosso satélite natural em forma de C. Conforme a Lua vai girando e mudando sua posição em relação ao Sol, as superfícies escuras vão sendo iluminadas aos poucos.

• Lua Cheia
Ao atingir uma posição um pouco acima da Terra e do Sol, todo o lado visível. É a Lua cheia, que vem após a fase crescente.

• Lua Minguante
Mais ou menos sete noites após a Lua cheia, podemos perceber que apenas um quarto de sua superfície está iluminado: por isso, ela é chamada de quarto minguante. Nessa fase, o lado iluminado da Lua fica voltado para o nascente.

 

Eclipse

Quando a Lua está dentro da sombra projetada pela Terra, ela é eclipsada. Quando a Lua cobre o Sol e impede que sua luz atinja a Terra, o Sol é eclipsado.
À medida que a Terra gira ao redor do Sol, a Lua órbita ao redor da Terra.Vista da Terra, a Lua algumas vezes está presente no céu junto com o Sol.

Embora o Sol seja quatrocentas vezes maior do que a Lua, eles parecem ser aproximadamente do mesmo tamanho em nosso céu. Isto é devido ao fato de que a Lua está quatrocentas vezes mais perto da Terra do que o Sol. Se a Lua estiver diretamente em linha com o Sol em relação à Terra, ela pode passar através da sombra terrestre e então ocorrerá um eclipse lunar.

• Eclipse Lunar
Na medida em que a Lua viaja ao redor da Terra, ela pode mover-se para fora da luz solar e adentrar a sombra projetada pela Terra.Mas a trajetória lunar não a leva para dentro da sombra terrestre a cada órbita.Portanto a Lua não é eclipsada toda vez que viaja ao redor da Terra, isto ocorre somente até três vezes por ano. Quando somente parte da Lua, é coberta pela sombra temos um eclipse lunar parcial.

• Eclipse Solar
A Lua passa entre a Terra e o Sol cada vez que órbita ao redor da Terra. Quando ela o faz, sua fase é de Lua nova. A face lunar aposta à Terra está iluminada e a face voltada para nosso planeta está escuro.

Quando a Lua passa diretamente entre o Sol e a Terra ela bloqueia a luz solar e projeta uma sombra na Terra. O Sol é então eclipsado. Se o disco do Sol foi completamente coberto pelo disco lunar, temos um eclipse total do Sol.

Quando a Lua cobre parcialmente o Sol, temos um eclipse parcial. Os eclipses não acontecem a cada Lua nova, uma vez que em geral a Terra, a Lua e o Sol não estão diretamente e a Lua não cobre o Disco Solar.

Eclipses solares ocorrem uma ou duas vezes por ano, e eles somente são visíveis da parte terrestre coberta pela sombra lunar. No eclipse total é possível observar a fraca atmosfera exterior solar, a coroa, normalmente ofuscada pelo disco solar.

 

A Terra no Espaço

A Terra é o maior planeta rochoso, e o terceiro a partir do Sol. É a única no Sistema Solar, um lugar com muita água e cheio de vida. Ela também mudou muito desde que foi formada 4,6 bilhões de anos trás, e continua a fazê-lo.

Assim como os outros planetas do Sistema Solar a Terra gira em torno do Sol, a estrela mais importante para nós. Nosso globo, assim chamado porque tem uma forma arredondada, ocupa uma posição privilegiada no Sistema Solar. Se estivesse mais perto, seria muito quente e a maioria dos seres vivos não poderia sobreviver. Se estivesse muito mais longe, seria muito frio.
Vista do espaço, a Terra é azul, coberta de mares e oceanos e envolta em nuvens brancas.

• As Origens da Terra
A radiação do jovem Sol espalhou muito da nuvem de poeira que havia restado. O que ficou virou um disco de poeira em trono do Sol. Com o passar do tempo, os grãos de poeira se agruparam e deram origem a matérias rochosas. Esta matéria foi unida aos poucos, em um processo conhecido como acresçao.

Lentamente, o disco de poeira formou alguns planetas, um dos quais é a Terra. Conforme a Terra ganhou massa, aumentou o seu campo gravitacional. A força da gravidade moldou a poeira em uma forma de bola e a comprimiu até que ela derretesse. Uma densa camada de ferro derretido, cercada por uma grossa manta de rocha de silicato surgiu.

Os vulcões e os meteoros ajudaram a superfície a adquirir suas características. Quando estava quase tudo pronto, um objeto do tamanho de Marte colidiu com a Terra. O material deste corpo celeste deixou uma nuvem em órbita ao redor da Terra. Esta nuvem se condensou e formou a Lua.

• O Planeta Terra
Cerca de dois terços da superfície terrestre é coberta por água. A maioria dela está em forma liquida, mas nas regiões polares, onde é mais frio, ele é gelo sólido. O resto da superfície composta por massas terrestres, os continentes. A terra e a água estão situadas no topo da camada mais externa de rochas, a crosta.

Esta é dividida em placa de rochas; oito placas gigantes e diversas outras menores. Por sua vez a crosta está situada no topo de um manto de rocha quente e derretida.
As placas deslizam por cima da rocha derretida e produzem mudanças na paisagem terrestre. Quando duas placas empurram-se uma às outras, a crosta pode ser forçada para cima e deste processo resultam as montanhas.

Cercando a Terra está uma atmosfera contendo 78 por cento de nitrogênio e 21 por cento de oxigênio. Ela fornece o ar que respiramos e nos protege de radiações nocivas vindas do Sol e do espaço. Ela permite que a luz solar atravesse e ajuda a controlar a temperatura. A água é absorvida nas camadas mais baixas da atmosfera, condensa-se em nuvens e então cai de volta na Terra como chuva ou neve.

• Por Dentro da Terra
A estrutura do globo terrestre foi afetada pela colisão com outros corpos celestes, pois isso gerou muito calor. A matéria mais pesada, e ainda em brasa, afundou, originando o núcleo. As substancias mais leves subiram à tona e se resfriaram, formando a crosta. As demais são as camadas intermediarias.
Para estudá-las, os cientistas usam o geofone, aparelho parecido com o que os médicos usam para ouvir o nosso coração.

⇒ Crosta
Sólida e rígida, ela se situa logo abaixo da superfície terrestre e varia de 10 a 60 Km de espessura.

⇒ Litosfera
É nessa faixa, constituída pela crosta e pela parte mais externa do manto, que se encontram as jazidas minerais e as reservas de gás e petróleo do nosso planeta.

⇒ Manto
É a camada sólida que se localiza logo abaixo da crosta. Tem 2.900 Km de espessura e temperatura muito elevada.

⇒ Núcleo
Com 3.400 km, é composto de duas partes: a externa, formada de matéria derretida, e a interna, sólida.No núcleo a temperatura pode chegar a 3.700°C.

 

Movimentos da Terra

A Terra gira como um pião enquanto cumpre sua órbita ao redor do Sol. Estas rotações causam as variações na temperatura da sua superfície. Olhando da superfície terrestre, o Sol parece nascer no leste, cruzar o céu e se pôr no oeste. As estrelas fazem o mesmo de noite.

Até o século 16, a maioria das pessoas acreditava em uma Terra fixa, ao redor da qual o Sol e as estrelas se moviam. Hoje sabemos que o Sol e as estrelas parecem cruzar o céu porque a Terra roda ao redor de seu próprio eixo todos os dias. Ela também gira ao redor do Sol em 365 dias e um quarto, o que nos dá o nosso ano.

• Rotação
A cada 24 horas, a Terra completa uma volta sobre si mesmo. Este movimento, ao qual damos o nome de rotação, lembra a de um peão girando em torno do próprio eixo. Durante esse percurso, é dia na face do globo exposta ao Sol e noite na outra.

• Translação
A atração que a o Sol exerce no Sistema Solar é a gravidade. Isso faz com que os planetas tenham um movimento constante em torno dele.O tempo que cada planeta leva para fazer uma viagem ao redor do Sol corresponde a seu ano, que varia de um para outro.Esse movimento é a chamada translação.A Terra leva 365,25 dias para completar uma órbita ao redor do Sol.

 

Conclusão

O universo nos encanta por seu mistério. Será que ele tem fim? Será que existe vida em outro planeta?

Esse trabalho nos fez descobrir um pouco mais sobre essa massa negra coberta de estrelas, tão enigmática que até hoje não foi desvendada pelo homem, e também nunca será.

A cada instante pode aparecer um planeta novo, uma estrela pode morrer e outra nascer, um meteorito pode se chocar com a terra. Teorias e mais teorias, o universo é uma agradável pesquisa sem fim.

Estude na sequência: Revisão de Geografia
O Universo
O Universo parte 2
O Universo parte 3
O Universo parte 4
O Universo parte 5
O Universo parte 6

Revisão de Geografia: O Universo parte 6

Bibliografia e Livros pesquisados: 1. Nova Enciclopédia da Ciência – Editora Kingfisher Capitulo 9 – Espaço e Tempo.Pág 247 a 275; 2. Para Saber Mais – Editora Abril Ciências Naturais – Espaço.Pág 1, 49 e 21; 3. Viagem ao redor do Sol, de Samuel M. Branco – Editora Moderna; 4. Série Atlas visuais – Editora Ática 5. Série Aventura na Ciência – Editora Globo – Capitulo – Astronomia Créditos: Thalita S. Branco, Natasha Almeida, Barbara Adyla e Pedro H. Reis.

Publicado em:Geografia,Matérias,Revisão Online

Você pode gostar também