Parasitologia - Vestibular1

Parasitologia

Revisão de Biologia: Parasitologia

 

Biologia: Parasitologia

Resumão Revisão da Matéria de Biologia – Revisando seus conhecimentos
Biologia: Parasitologia

Revisão de Biologia: Parasitologia

 

Parasitologia

Taenia solium, T. saginata e Cisticercose

Introdução

O causador da Teníase é um helminto pertencente ao Filo Platyhelminthes, Classe Cestoda, Família Taeniidae, Gênero Taenia.
Esta parasitose pode ser causada por duas espécies: Taenia solium, transmitida através de suínos; e T. saginata, através de bovinos.

A infecção se dá através da ingestão de cisticercos, ou seja, da larva do helminto. Esta vai se estabelecer no intestino do hospedeiro definitivo, tornando-se um adulto. Ambas as espécies apresentam um ciclo evolutivo como o descrito, com a diferença que os ovos de T. solium vão se desenvolver em cisticercos no gado suíno, enquanto que, em T. saginata, isso vai ocorrer em gado bovino.

As principais diferenças entre as espécies são:
• T. solium mede mais ou menos três metros, apresenta um escólex armado (com rostelo); a eliminação dos anéis grávidos (com ovos) se dá passivamente com as fezes. Sua larva é Cysticercus cellulosae, seu hospedeiro intermediário, como já foi descrito, é o gado suíno e cada proglote apresenta cerca de 80.000 ovos.
• T. saginata mede mais ou menos nove metros, seu escólex é desarmado (ou inerme); seus anéis são eliminados ativamente, com ou sem fezes, podendo ser nos intervalos de defecação. Sua larva é o Cysticercus bovis; seu hospedeiro intermediário é o gado bovino; e sua proglote pode apresentar até 160. 000 ovos.

O ovo é igual para as duas espécies (embrião hexacanto recoberto pelo embrióforo; mede cerca de 35 mm).
» Patogenia e Sintomatologia: pode ser assintomática; ação mecânica pela presença do verme no intestino; ação tóxica; cólica abdominal; diarreia; emagrecimento; bulimia (apetite exagerado); anorexia.
Diagnóstico: Clínico/Laboratorial:
1-Tamisação (peneirar as fezes e colocar as proglotes em ácido acético para saber a espécie);
2- Fita adesiva “anal swab”;
3- Método de Hoffmann (só detecta a presença, mas não define a espécie).
Tratamento: Mebendazol (4 dias); semente de abóbora.
Profilaxia: preparação adequada ao cozinhar carnes.

A Cisticercose é uma doença causada pela larva da tênia. Neste caso, o homem é que adquire o papel de hospedeiro intermediário. Só há registros de casos de enfermidades causadas pelas larvas de T. solium por enquanto.

Essa doença ocorre quando há a ingestão dos ovos. Esses ovos se desenvolvem em larvas que caem na circulação e vão se estabelecer nos tecidos, preferencialmente cérebro e olhos. Nesses locais, elas formam um cisto que assim pode viver até mais ou menos uns dez anos. Dependendo do número de cistos, o indivíduo pode morrer, principalmente se eles estiverem no cérebro (e/ou medula espinhal).
Nessa doença, dificilmente há o hospedeiro definitivo, a não ser que alguém coma a carne humana que contenha cistos.
Sintomatologia: esses cistos apresentam uma ação mecânica compressiva pelo volume que eles apresentam (ocupam).
Também há uma ação inflamatória:
• Neurocisticercose: cefaleia; meningite (vômito tipo cerebral, náusea, rigidez na nuca); convulsão.
• Oftalmocisticercose: hipertrofia do nervo óptico; retina e humor vítreo opacos.

O diagnóstico pode ser feito pelo Exame do LCR (líquido céfalo razuidiano), por Tomografia Computadorizada, por Ressonância Magnética ou por Métodos Imunológicos (ELISA, RIFI, Fixação de Complemento).
O tratamento é feito por Praziquantel ou mesmo por cirurgias.
Para a prevenção, o melhor é lavar bem os alimentos, lavar as mãos e também tratar os portadores de teníase.

Revisão de Biologia: Parasitologia

Vestibular1

O melhor site para o Enem e de Vestibular é o Vestibular1. Revisão de matérias de qualidade e dicas de estudos especiais para você aproveitar o melhor da vida estudantil. Todo apoio que você precisa em um só lugar!

Deixe uma resposta