Menu fechado
Período Composto Revisão de Português Vestibular1

Revisão de Português: Período Composto

 

Português: Período Composto

Resumão – Revisão da Matéria de Português – Revisando seus conhecimentos
Português: Período Composto

Revisão de Português: Período Composto

 

Período Composto
Período Composto por Coordenação
– É formado por orações coordenadas.
– Orações coordenadas: São orações que no período não exercem função sintática uma em relação às outras, portanto são sintaticamente independentes embora ligadas pelo sentido.

Período Composto por subordinação
– É formado por oração principal e oração subordinada (uma ou mais).
– Oração principal: É aquela que possui um ou mais de um de seus termos representados por orações subordinadas.
– Oração subordinada: É aquela que, sintaticamente, representa um termo da oração principal.

Período Composto por Coordenação e Subordinação
– É formado por oração coordenada mais outra oração que será coordenada em relação à primeira, e principal em relação à próxima, que será subordinada.

Oração Coordenada Oração Coordenada Oração Subordinada
Oração Principal

Ex: O homem entrou na sala e pediu que todos saíssem.
e pediu: Oração coordenada e principal.

 

Períodos Compostos por Coordenação

Assindética: Não veem introduzidas por conjunção.
Sindética: Veem introduzidas por conjunção e são introduzidas de acordo com essa.

 

Classificação das orações coordenadas sindéticas:

Aditivas: Expressam uma adição, uma sequencia de informações.
» Conjunções: e, nem, não só, mas também, …
• Adversativas: Expressam ideia de adversidade, oposição, contraste.
» Conjunções: mas, porém, contudo, todavia, entretanto, …
• Alternativas: Expressam ideia de alternância, escolha.
» Conjunções: ou, ou…ou, ora…ora .
Ex: Ora ganhava, ora perdia.
• Conclusivas: Expressam ideia de conclusão:
» Conjunções: logo, portanto, por conseguinte.
Ex: Todos estudaram muito, logo passaram no vestibular.
• Explicativas: Expressam uma explicação, uma justificativa.
» Conjunções: pois, porque, que.
Ex: Respeite a natureza, pois ela é a sua casa.
Obs.:
• A conjunção “pois” pode ter valor explicativo ou conclusivo
Ex: Venha imediatamente, pois sua presença é indispensável. (explicativa)
Ele está confuso; precisa, pois, de nosso apoio. (conclusiva)
» Quando o “pois” tema apenas uma vírgula é explicativo, vem antes do verbo. Quando apresenta duas vírgulas é conclusiva, vem depois do verbo.

• A conjunção “que” pode ter valor aditivo.
Ela fala que fala.
» Só é aditivo se estiver entre o mesmo verbo repetido.

• A conjunção “e” pode assumir valor adversativo.
Vi um monstro, e não senti medo.

 

Períodos Compostos por Subordinação

Orações subordinadas substantivas: São aquelas que desempenham as funções sintáticas próprias do substantivo. Sujeito, objeto direto, objeto indireto, predicativo, complemento nominal e aposto.
• Subjetiva:
Funcionam como sujeito do verbo da oração principal.
Ex: É importante que você aprenda português.
que: Conjunção subordinativa integrante.
Obs.: Quando a oração subordinada substantiva é subjetiva, o verbo da oração principal fica sempre na terceira pessoa do singular.

• Objetiva direta:
Funcionam como objeto direto do verbo da oração principal.
Ex: Não sei se Teresa virá.
se: Conjunção subordinativa integrante.

• Objetivas indiretas:
Funcionam como objeto indireto do verbo da oração principal.
Ex: Gostaria de que todos me apoiassem.
que: conjunção subordinativa integrante.

• Predicativas:
Funcionam como predicativo do sujeito da oração principal. Verbo de ligação: predicativo do sujeito.
Ex: Nossa esperança é que chova logo.
que: Conjunção subordinativa integrante.

• Completivas Nominais:
Funcionam como complemento nominal de um nome da oração principal.
Ex: Ninguém teve dúvida de que a propaganda mentiu.

• Apositivas:
Funcionam como aposto de um nome da oração principal.
Ex: Só desejo uma coisa: que vivam felizes.
Obs.: Tem que possuir dois pontos (:).
Reduzidas: Não tem conectivo (conjunção).
Apresenta o verbo numa das formas nominais: infinitivo (-r), gerúndio (-ndo) e particípio (- do).

Obs.:
• As orações subordinadas substantivas são geralmente iniciadas pelas conjunções integrantes: “que” e “se”. Podem, no entanto, vir iniciadas por outras palavras, tais como:
– Pronome interrogativo: que, quem, qual, quanto.
Ex: Ninguém imagina qual será o próprio destino.
– Advérbios interrogativos:
Ex: Não sei onde ele está.

 

Orações Subordinadas adjetivas

São aquelas que têm o valor e a função de um adjetivo (sempre se referem a um substantivo ou pronome da oração principal)
São iniciadas por pronomes relativos: que, quem, o qual, cujo,…
– Dicas: Pronome relativo:
– Tente substituir o pronome por “o qual (is)” para confirmar se ele é ou não relativo.
– O pronome relativo exerce uma função sintática.

Ex: Admiramos alunos estudiosos → Admiramos alunos que estudam
adjetivo Oração subordinada adjetiva

 

 

• Orações subordinadas adjetivas Restritivas:
– Restringem ou limitam a significação do nome a que se refere.
– Não são separadas por vírgulas.
– Funcionam como adjunto adnominal de um nome da oração principal.
Ex: Os homens que fumam vivem pouco. (Oração Subordinada Adjetiva Restritiva)
Havia ali crianças pedindo esmola. (Oração Subordinada Adjetiva Restritiva Reduzida de gerúndio)

• Orações Subordinadas Adjetivas Explicativas:
– Indicam uma simples explicação ou detalhe do nome a que se refere.
– Vêm sempre separadas por vírgulas.
– Funcionam como aposto (entre vírgulas) de um nome da oração principal.
Ex: O Sol, que é uma estrela, é o centro do nosso sistema planetário.

• As orações subordinadas adjetivas e a vírgula:
– Já vimos que as orações adjetivas explicativas são separadas por vírgulas, mas as adjetivas restritivas não.
– O emprego, ou não, das vírgulas com as orações adjetivas gera frases de sentidos totalmente diferentes. Compare:
Os balões que subiam eram aplaudidos pelas crianças. (restritiva)
Os balões, que subiam, eram aplaudidos pelas crianças. (explicativa)
– Apesar de terem a mesma estrutura, esses períodos têm sentidos bem diferentes. Note que no período primeiro, entende-se que nem todos os balões subiam, apenas uma parte deles é que subia. E só os que subiam eram aplaudidos. A oração “que subiam” é, portanto, adjetiva restritiva.
– Já no período segundo, entende-se que todos os balões subiam e todos eram aplaudidos pelas crianças. A oração “que subiam” é, portanto, adjetiva explicativa.

 

Orações Subordinadas Adverbiais

– Exercem a função sintática de adjunto adverbial da oração principal.
– São iniciadas pelas conjunções subordinativas adverbiais.
– Classificam-se de acordo com a circunstância que expressam.

Ex: O porteiro chegou à noitinha → O porteiro chegou quando anoitecia
Adjunto adverbial de tempo Oração Subordinada Adverbial Temporal

1. Causais:
Exprimem causa, motivo, razão.
Ex: Ele gritou porque viu um vampiro.
porque: Conjunção subordinativa adverbial causal.
2. Comparativas:
– Representam o segundo termo de uma comparação.
– Muitas vezes, as orações comparativas vêm com o verbo elíptico (subentendido).
Ex: Nadei como um cão (nada).
como: Conjunção subordinativa adverbial causal.
3. Concessivas:
– Exprimem um fato que se concede, que se admite, em oposição ao fato expresso na oração principal.
Ex: Era simples, embora fosse rico.
4. Condicional:
– Exprimem uma condição, hipótese.
Ex: Estudando desse jeito, você ficará louco.
Oração Subordinada Adverbial Condicional reduzida de Gerúndio.
5. Conformativas:
– Exprimem acordo ou conformidade de um fato com o outro.
Ex: Como diz o povo, tristezas não pagam dívidas.
Oração Subordinada Adverbial Conformativa.
6. Consecutivas:
– Exprimem uma consequência, um efeito ou resultado.
Ex: Estava tão distraído que pisou na lama.
7. Finais:
– Exprimem finalidade, objetivo.
Ex: Marcelo recolheu sua mala para que o intruso se acomodasse.
Obs.: Para que : Locução conjuntiva (faz o papel de uma conjunção). Todas terminam em “que”.
8. Proporcionais:
– Exprimem proporcionalidade:
Ex: À medida que se vive, mais de aprende.
À medida que: Locução conjuntiva subordinativa adverbial proporcional
9. Temporais:
– Exprimem circunstância de tempo.
Ex: Mal entrou em casa, tocou o telefone.
Oração Subordinada Adverbial Temporal.
Obs.:
– As orações subordinadas que exercem idêntica função sintática podem aparecer coordenadas entre si.
Ex: Teus pais desejam que estudes e que te formes.
– Dois conectivos juntos (e + *): Duas orações subordinadas iguais, a função do “e” é ligar as duas orações idênticas (e – conjunção coordenativa).
– Orações Subordinadas Coordenadas entre si.
Obs.2:
– Oração Subordinada Adjetiva separada por vírgula só as explicativas.
– Oração Subordinada Substantivas separadas por vírgulas apenas as apositivas.
– Oração Subordinada Adverbial vier depois da Oração Principal, vírgula facultativa.
– Oração Subordinada Adverbial vier antes ou intercalada na Oração Principal, vírgula obrigatória.

Revisão de Português: Período Composto

Publicado em:Matérias,Português,Revisão Online

Você pode gostar também