Sintaxe Concordância Nominal Casos Especiais Sujeito

Sintaxe Concordância Nominal Casos Especiais Sujeito

Revisão de Português: Sintaxe Concordância Nominal Casos Especiais Sujeito

 

Português: Sintaxe Concordância Nominal Casos Especiais Sujeito

Resumão – Revisão da Matéria de Português – Revisando seus conhecimentos
Português: Sintaxe Concordância Nominal Casos Especiais Sujeito

 

Sintaxe Concordância Nominal Casos Especiais Sujeito – Sujeito Simples

• O sujeito é o pronome relativo QUEM – o verbo concorda com o antecedente ou cai na terceira pessoa do singular: És tu quem serás premiado.
• O sujeito é o pronome relativo QUE – o verbo concorda com o antecedente: Fomos nós que fizemos a pesquisa.
• O sujeito é o pronome relativo QUE precedido de UM DOS – o verbo fica no singular ou no plural: Ela é uma das que mais estuda (ou estudam).
• O sujeito é um pronome indefinido no plural seguido por DE (ou DENTRE) NÓS (ou VÓS) – o verbo concorda com o pronome pessoal ou vai para a terceira pessoa do plural: Apenas algumas dentre nós conhecemos (ou conhecem) a verdade.
• O sujeito é um pronome interrogativo no plural seguido por DE (ou DENTRE) NÓS (ou VÓS) – como no caso anterior, o verbo concorda com o pronome pessoal ou vai para a terceira pessoa do plural: Quais de vós sois (ou são) culpados?
• O sujeito é CADA UM seguido por palavra no plural – o verbo fica na terceira pessoa do singular: Cada um dos alunos receberá um diploma.
• O sujeito é NENHUM seguido por palavra no plural – o verbo fica na terceira pessoa do singular: Nenhuma das meninas trouxe o trabalho?

• O sujeito é um coletivo – a concordância é feita de três maneiras:
» O verbo fica na terceira pessoa do singular se o sujeito coletivo estiver junto do sujeito: Uma banda tocava para nós.
» O verbo fica na terceira pessoa do singular ou do plural se o sujeito coletivo não estiver junto do sujeito: A banda tocou por muito tempo; eram dez horas quando retirou-se (ou retiraram-se).
» O verbo fica na terceira pessoa do singular ou do plural se o sujeito coletivo estiver acompanhado de palavra no plural: Uma banda de meninas alegrou (ou alegraram) a festa.

• O sujeito é uma expressão de tratamento – o verbo fica na terceira pessoa do singular: Vossa Excelência tem razão.
O sujeito é plural aparente (plural na forma e singular no sentido) – o verbo fica na terceira pessoa do singular: Dois é um numeral ordinal.
O sujeito é plural não determinado ou é precedido de artigo no singular: Ilhéus é uma cidade da Bahia.

O sujeito é uma expressão partitiva seguida de palavra no plural – o verbo vai para a terceira pessoa do plural:
O sujeito é indeterminado – a concordância é feita de duas maneiras:
» O verbo fica na terceira pessoa do singular se a indeterminação é indicada pelo pronome SE: Precisa-se de uma secretária.
» O verbo vai para a terceira pessoa do plural se a indeterminação não é indicada pelo pronome SE: Tocaram a campainha.
Voz passiva sintética – o verbo concorda com o sujeito, que será sempre expresso: Procura-se casa.
• O sujeito é precedido pelas expressões MAIS DE, MENOS DE – o verbo concorda com a palavra que acompanha a expressão: Menos de dois alunos chegaram atrasados.
• O sujeito é representado por número percentual – a concordância é feita de três maneiras:
a) o verbo concorda com a palavra que acompanha o número: Dez por cento da safra ficou no depósito.
b) o verbo concorda com o número quando ele está posposto: Ficaram no depósito dez por cento da safra.
c) o verbo vai para o plural se o número estiver determinado por artigo ou pronome: Os dez por cento da safra foram vendidos.

Voltar a estudar Português: Sintaxe Concordância Nominal Casos Especiais Sujeito – parte DOIS

Revisão de Português: Sintaxe Concordância Nominal Casos Especiais Sujeito

 

Vestibular1

O melhor site para o Enem e de Vestibular é o Vestibular1. Revisão de matérias de qualidade e dicas de estudos especiais para você aproveitar o melhor da vida estudantil. Todo apoio que você precisa em um só lugar!

Deixe uma resposta