Menu fechado
Tópico quente Revisão de Biologia Vestibular1

Revisão de Biologia: Tópico quente

 

Biologia: Tópico quente

Resumão Revisão da Matéria de Biologia – Revisando seus conhecimentos
Biologia: Tópico quente

Revisão de Biologia: Tópico quente

 

Tópico quente

Um tópico muito quente de Biologia

Quando ocorreu a Eco Rio, um grande evento mundial, houve uma maior incidência de questões ligadas à Ecologia, Botânica e Zoologia nos vestibulares. Isto demonstra como os examinadores dos grandes vestibulares são inteligentes e permeáveis aos acontecimentos do dia-a-dia.

Mas o paroxismo ecológico vem arrefecendo, perdendo fôlego, para outros assuntos igualmente importantes. Nós, os vestibulandos, precisamos ficar antenados nas últimas tendências e perceber que os biólogos envolvidos na formulação das perguntas também leem jornais e são influenciáveis.

Um tópico muito ventilado ultimamente pela imprensa é o da múltipla resistência bacteriana aos antibióticos, mesmo os de mais amplo espectro. Quase toda semana, aparece uma nova cepa de bactéria resistente que provoca o maior bafafá nos meios de comunicação.

O que acontece, em princípio, é a seleção natural de micro-organismos. Charles Darwin explica… Quando usamos um antibiótico, para combater uma infecção urinária, por exemplo, matamos milhões de germes, mas alguns mutantes podem sobreviver e originar uma descendência resistente composta por milhões de indivíduos após apenas três ou quatro dias.

Outra maneira de selecionar bactérias acontece quando criadores de animais – galinhas, bois, vacas e outros – empregam antibióticos com a finalidade de acelerar o ganho de peso da bicharada, prevenir infecções e combater a mastite (infecção mamária das vacas).

O problema acontece quando faltam escrúpulos e um criador de gado bovino, por exemplo, ordenha sua vaca antes que ela elimine por completo o antibiótico de seu organismo. A ganância pode falar mais alto e o leite vir com penicilina.

Esta penicilina nada desejada mata os lactobacilos responsáveis pela produção de coalho do leite e as donas de casa não conseguem fazer a precipitação de caseína (proteína do leite) e, assim, não conseguem produzir queijo em casa.

Outro problema sério acarretado pela penicilina no leite é a seleção de bactérias resistentes na orofaringe, por exemplo. A pobre mãe não entende porque dá tanto leite aos seus queridos filhos para que eles cresçam fortes e saudáveis e, no entanto, as crianças vivem com aquela dor de garganta crônica, pegam pneumonia três vezes por ano, tomam um antibiótico comum prescrito pelo doutor e nada de melhorar…

Leite até pode ser um alimento saudável, mas não quando o compramos com penicilina de brinde…
O problema da penicilina no leite tende a piorar nos próximos anos, quando mais e mais criadores tenderão a usar um hormônio produzido por engenharia genética (através de técnicas de DNA recombinante) chamado somatotrofina que estimula as mamas das vacas a produzir mais leite, mas que também aumenta a incidência de mastite (infecção mamária), o que, por sua vez, implica um maior uso de penicilina (que poderá ser secretada no leite das pobres vaquinhas, submetidas a um sem-número de substâncias químicas).

A biotecnologia tanto pode ser uma bênção dos céus para melhorar a qualidade de vida das pessoas como também uma ameaça ao bem-estar da humanidade. Precisamos aprender a discernir o lado bom dessa nova onda e encorajá-lo cada vez mais. Mas cumpre também estarmos atentos para proteger nossa própria saúde e a daqueles que tanto amamos.

Revisão de Biologia: Tópico quente

Publicado em:Biologia,Matérias,Revisão Online

Você pode gostar também