Menu fechado
História - Colonizações inglesa, espanhola e francesa I simulado com gabarito matérias específicas

História – Colonizações inglesa, espanhola e francesa I

Simulado de matérias específicas História – Colonizações inglesa, espanhola e francesa I com gabarito

Com a intenção de ajudá-lo a se preparar melhor para as provas de Vestibular e Enem, desenvolvemos este Simulado de História – Colonizações inglesa, espanhola e francesa I que contém questões específicas sobre os assuntos mais exigidos em História.
Cada questão contém entre 2 e 5 alternativas. Para cada questão existe apenas uma alternativa correta e não existe nenhuma questão em branco.
O número de respostas certas do gabarito do Simulado de História – Colonizações inglesa, espanhola e francesa I estão no final.

Bons estudos!

01.(Fuvest-SP) A colonização inglesa na América foi marcada por sensíveis diferenças entre o norte e o sul. Caracterize essas diferenças no que se refere ao trabalho compulsório e aos aspectos econômicos.

 

02. (Fuvest-SP) Durante o século XVI, a Europa conheceu um processo inflacionário profundamente perturbador – conhecido como “revolução dos preços” – que provocou uma acentuada transferência de renda entre os grupos sociais e, até mesmo, entre países. Esse processo foi causado:

a) pela consolidação dos Estados Absolutistas que mantinham cortes e gastos extraordinários.
b) pelas guerras de religião que obrigaram os Estados a constituir exércitos poderosos e caros.
c) pela abertura das rotas de comércio marítimo com a Ásia, inundando a Europa com especiarias e produtos de todo o tipo.
d) pela chegada, em grande quantidade, de prata e ouro da América espanhola.
e) pelas guerras entre as monarquias mais poderosas para conquistar a Itália e manter a hegemonia na Europa.

 

03. (UEL-PR) “Sem colonização não há uma boa conquista, e se a terra não é conquistada, as pessoas não serão convertidas. Portanto, o lema do conquistados deve ser colonizar.
Gómara, Francisco Lopez de. História General de lãs índias. Madrid, 1852 p.181. citado por Bethel, Leslie (Org.) História da América Latina. 2. ed. São Paulo: Edusp; Brasília: Fundação Alexandre Gusmão, 1988. p.135.

Com base nas palavras do historiador e nos conhecimentos sobre a conquista da América Espanhola, é correto afirmar:

a) A boa conquista, para o autor, limitava-se a assaltar, a saquear e a tomar posse dos objetos fáceis de transportar, como ouro, prata e pedras preciosas.
b) A colonização da América foi uma ação militar e teve sequência na conquista espiritual e na migração maciça de súditos espanhóis para dominar a terra.
c) Para os espanhóis, que menosprezavam a condição do senhor, a ausência de mão-de-obra para trabalhar a terra não foi um obstáculo à colonização.
d) A superioridade numérica de armamentos e a experiência tática dos espanhóis permitiram uma conquista pacífica e sem traumas.
e) A conquista preservou as instituições nativas, conservando os níveis demográfico, econômico, social e ideológico das sociedades autóctones.

 

04. (Cesgranrio-RJ) Durante o século XVII, grupos puritanos ingleses perseguidos por suas ideias políticas (antiabsolutistas) e por suas crenças religiosas (protestantes calvinistas) abandonaram a Inglaterra, fixando-se na costa leste da América do Norte, onde fundaram as primeiras colônias.

A colonização inglesa nessa região foi facilitada:

a) pela propagação das ideias iluministas, que preconizavam a proteção e respeito aos direitos naturais dos governados.
b) pelo desejo de liberdade dos puritanos em relação à opressão metropolitana.
c) pelo abandono dessa região por parte da Espanha, que então atuava no eixo México-Peru.
d) pela possibilidade de explorar grandes propriedades agrárias com produção destinada ao mercado europeu.
e) pelas consciências políticas dos colonos americanos, desde logo treinados nas lutas coloniais.

 

05. (UFMG) Assinale a alternativa que caracteriza o sistema de trabalho conhecido como “mita”.

a) Trabalho escravo de negros nas plantações de açúcar do Caribe.
b) Trabalho forçado de índios mestiços nas plantações de café da Colômbia.
c) Trabalho forçado de índios nas minas de ouro e prata do Peru e Alto Peru.
d) Trabalho escravo de índios nas minas de salitre e cobre do Chile.

 

06. (Fuvest-SP) Comparando as colônias da América portuguesa e da América espanhola, pode-se afirmar que:

a) as funções encomenderos foram idênticas às dos colonos que receberam sesmarias no Brasil.
b) a mão-de-obra escrava africana foi a base de sustentação das atividades mineradoras, em ambas as colônias.
c) a atuação da Espanha, diferente da de Portugal, foi contrária às diretrizes mercantilistas para suas colônias.
d) as manufaturas têxteis foram proibidas por ambas as Coroas, e perseguidas as tentativas de sua implantação.
e) as atividades agrárias e mineradoras se constituíram na base das exportações das colônias das duas Américas.

 

07. (FGV-SP) A conquista colonial inglesa resultou no estabelecimento de três áreas com características diversas na América do Norte.

Com relação às chamadas “colonias do sul” é correto afirmar que:

a) baseava-se, sobretudo, na economia familiar e desenvolveu uma ampla rede de relações comerciais com as colônias do Norte e com o Caribe.
b) Baseava-se numa forma de servidão temporária que submetia os colonos pobres a um conjunto de obrigações em relação aos grandes proprietários de terras.
c) baseava-se numa economia escravista voltada principalmente para o mercado externo de produtos, como o tabaco e o algodão.
d) consolidou-se como o primeiro grande pólo industrial da América com a transferência de diversos produtores de tecidos vindos da região de Manchester.
e) caracterizou-se pelo emprego de mão-de-obra assalariada e pela presença da grande propriedade agrícola monocultora.

 

08. (PUC-MG) São características da Hispano-América Colonial até meados do século XVI, exceto:

a) a ação da Coroa como instituição diretamente responsável pela exploração dos índios.
b) a submissão dos índios à prática das encomiendas pelos hispânicos.
c) a conquista e dominação dos índios da Confederação Asteca e das cidades maias.
d) a pilhagem e o saque dos tesouros das Altas Culturas – astecas, maias e incas.
09. (UERJ) “Na realidade,nem toda colonização se desenrola dentro das travas do sistema colonial. Os sistemas nunca se apresentam, historicamente, em estado puro. (…) A colonização da Nova Inglaterra se deu fora dos mecanismos definidores do sistema colonial mercantilista, e (…) fatores específicos (…) deram origem a essa forma de expansão ultramarina: colônias de povoamento (…). A categoria de colônias que se lhe contrapõe é a de colônias de exploração”.
(Adptado de NOVAIS, Fernando A. Portugal e Brasil na crise do antigo sistema colonial (1777-1808). São Paulo: Hucitec, 1981.)

Considere a Nova Inglaterra como exemplo de colônia de povoamento e a América portuguesa como exemplo de colônia de exploração.

Cite, para cada uma delas, o tipo de propriedade predominante e a principal relação de trabalho.

 

10. (Fuvest-SP) Sobre a colonização inglesa na América do Norte:

a) estabeleça sua conexão com os desdobramentos da Reforma Protestante da Inglaterra;

b) explique por que na região sul se originou uma organização socioeconômica diferente da do norte.

 

GABARITO do Simulado de História – Colonizações inglesa, espanhola e francesa I

 

02  03  04  05  06  07  08 
D B B C E C A

 

Resposta 01:

– Norte: mão-de-obra livre, policultura, minifúndios e mercado interno.
– Sul: escravos, monocultura, latifúndio e produção para mercado externo.

 

Resposta 09:

– Na América portuguesa:

tipo de propriedade predominante: grande propriedade.
principal relação de trabalho: escravo.

– Na Nova Inglaterra:
tipo de propriedade predominante: pequena e média propriedade.
principal relação de trabalho: livre, servidão por contrato.

 

Resposta 10:

a) A colonização da América do Norte foi feita por puritanos que deixaram a Inglaterra, pois a reforma anglicana impunha grande intolerância àqueles que não professassem a religião oficial.

b) A região sul, escravista, se organizou economicamente em torno de grandes propriedades cuja produção era voltada para o mercado externo. As condições geográficas e climáticas foram fatores decisivos na opção pela economia agroexportadora baseada em “plantations”.

 

Publicado em:História

Você pode gostar também