Arquivos literatura lima barreto - Vestibular1

Como o Homem Chegou de Lima Barreto I

Como o Homem Chegou de Lima Barreto I. Deus está morto; a sua piedade pelos homens matou-o. Nietzsche – A polícia da república, como toda a gente sabe, é paternal e compassiva no tratamento das pessoas humildes que dela necessitam; e sempre, quer se trate de humildes, quer de poderosos, a velha instituição cumpre religiosamente a lei.

Quero ver

O Filho de Gabriela de Lima Barreto

O Filho de Gabriela de Lima Barreto. E que tem isso? Os filhos de vocês agora têm tanto luxo. Antigamente, criavam-se à toa; hoje, é um deus-nos-acuda; exigem cuidados, têm moléstias… Fique sabendo: não pode ir amanhã!

Quero ver

Um Que Vendeu a Sua Alma de Lima Barreto

Um Que Vendeu a Sua Alma de Lima Barreto. A ANEDOTA QUE lhe vou contar, tem alguma cousa de fantástica e pareceria que, como homem de meu tempo, eu não devia dar-lhe crédito algum. Entra nela o Diabo e toda a gente de certo desenvolvimento mental está quase sempre disposta a acreditar em Deus, mas raramente no Diabo.

Quero ver

Como o Homem Chegou de Lima Barreto II

Como o Homem Chegou de Lima Barreto II

Quero ver

O Filho de Gabriela de Lima Barreto II

O Filho de Gabriela de Lima Barreto. O conselheiro condescendeu e cuidadosamente começou a procurar um nome adequado. Pensou em Huáscar, Ataliba, Guatemozim; consultou dicionários, procurou nomes históricos, afinal resolveu-se por “Horácio”, sem saber por quê.

Quero ver

Uma Noite no Lírico de Lima Barreto

Uma Noite no Lírico de Lima Barreto. Munido do competente bilhete, às oito horas, entrava, subia, procurava o lugar marcado e, nele, mantinha-me, durante a representação. De forma que aquela sociedade brilhante que eu via formigar nos camarotes e nas cadeiras, me aparecia distante

Quero ver

Eficiência Militar de Lima Barreto

Eficiência Militar de Lima Barreto. Convém não esquecer que isto se passou, durante o antigo regime chinês, na vigência do qual, esse vice-rei tinha todos os poderes de monarca absoluto, obrigando-se unicamente a contribuir com um avultado tributo anual, para o Erário do Filho do Céu, que vivia refestelado em Pequim, na misteriosa cidade imperial, invisível para o grosso do seu povo e cercado por dezenas de mulheres e centenas de concubinas

Quero ver

O Homem Que Sabia Javanês

O Homem Que Sabia Javanês. Castelo sabe disso. Como bom malandro, sabe aproveitar o minado universo da ordem para dar seu golpe de mestre. Como ele mesmo diz, é um Brasil burocrático e imbecil que se acham as oportunidades para as “belas páginas da vida”.

Quero ver

Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá

Narrado por Augusto Machado, o romance Vida e Morte de M. J. Gonzaga de Sá, propõe a traçar um esboço de biografia de Gonzaga de Sá, amigo do narrador, que vai alternando o relato biográfico com suas próprias reflexões sobre a vida e os homens

Quero ver

Foi Buscar Lã… de Lima Barreto II

Foi Buscar Lã… de Lima Barreto. Todos o sabiam homem de preparo e de espírito; tudo estudava e tudo conhecia. Dele contavam-se muitas anedotas saborosas. Sem amigos, sem parentes, sem família, sem amantes, era, como examinador, de uma severidade inexorável.

Quero ver

O Homem Que Sabia Javanês II

Conto na íntegra O Homem Que Sabia Javanês de Lima Barreto. Fora um hindu ou siamês que lho dera, em Londres, em agradecimento a não sei que serviço prestado por meu avô. Ao morrer meu avô, chamou meu pai e lhe disse: “Filho, tenho este livro aqui, escrito em javanês. Disse-me quem mo deu que ele evita desgraças e traz felicidades para quem o tem.

Quero ver