Arquivos romance regionalista - Vestibular1

A morte e a morte de Quincas Berro D’Água 2

A morte e a morte de Quincas Berro D’Água. A morte e a morte de Quincas Berro D’água é, antes de tudo, uma crítica azeda aos comportamentos burgueses. A par disso, Jorge Amado soube colocar sua imaginação a serviço do humor e da ironia: criou, nas 12 partes da novela, um homem, Quincas, que, mesmo morto, vai ter sua noite de almirante.

Quero ver

A Bagaceira de José Américo de Almeida

A Bagaceira de José Américo de Almeida. Obra-prima do romance regionalista moderno, hoje com trinta e duas edições em língua portuguesa, edição crítica e versões em espanhol, francês, inglês e esperanto. Sua obra, com dezessete títulos, abriga ainda ensaios, oratória, crônica, memórias e poesia.

Quero ver

Chapadão do Bugre de Mário Palmério I

Chapadão do Bugre de Mário Palmério I. Quem busca a aventura, a ação incessante, a resposta de homens rudes e cruéis aos desafios que a vida impõe, descobre em Chapadão do Bugre um romance insuperável. Quem busca o estilo impecável, o domínio absoluto da linguagem mesclado ao amor à terra que descreve, encontra em Mário Palmério um autor regionalista que eleva o gênero em que é mestre à condição de epopeia.

Quero ver

Chapadão do Bugre de Mário Palmério II

Chapadão do Bugre de Mário Palmério II

Quero ver

Literatura Brasileira

Revisão de Literatura: Literatura Brasileira. A literatura brasileira é variada em estilos e tendências. A abordagem da realidade do país se consolidou com o movimento modernista ocorrido em 1922, no estado de São Paulo.

Quero ver