Menu fechado
Dúvida de Carreiras Engenharia Genética, profissões

Dúvida de Carreiras Engenharia Genética

 

Dúvida de Carreiras Engenharia Genética: Eu tenho interesse por Engenharia Genética e gostaria de saber se existe bacharelado para isso. E se existe, gostaria de saber se existe na Usp. Gostaria de saber também se Engenharia Genética é a mesma coisa que Microbiologia ou Biotecnologia.

Dúvida de Carreiras Engenharia Genética – Resposta de sua dúvida: A USP ate o momento não tem bacharelado em Engenharia Genética, mas deve surgir em breve. Você pode cursar biologia e fazer pós graduação em genética, ou em Biotecnologia. Na verdade, pós nestas áreas você pode fazer apos bacharelado em diversas áreas, como medicina, veterinária, biomedicina (UNIFESP), etc.

Biotecnologia, microbiologia e Eng. genética não são obrigatoriamente a mesma coisa. A microbiologia estuda microrganismos de uma maneira geral, e a biotecnologia estuda aplicações do desenvolvimento tecnológico em diversas áreas. Entretanto, ambas podem se utilizar da engenharia genética (manipulação gênica, p.ex.) para atingir seus objetivos. Sugiro que você visite o site do depto. biologia do Instituto de Biociências da USP (www.ib.usp.br – vá para deptos. e em seguida depto. biologia) e de microbiologia do Instituto de Ciências Biomédicas (www.icb.usp.br). Qualquer informação adicional, e só me contatar, sou do depto. de biologia/genética do IB USP.

Dúvida de Carreiras Engenharia Genética – Saiba mais sobre biomedicina

Biomédico – Realiza pesquisas sobre todas as formas de vida, efetuando estudos e experiência com espécimes biológicos, para incrementar os conhecimentos científicos e descobrir suas aplicações em vários campos, como medicina e agricultura.

Realiza pesquisa, na natureza e em laboratório, estudando origem, evolução, funções, estruturas, distribuição, meio, semelhanças e outros aspectos das diferentes formas de vida, para conhecer todas as características, comportamento e outros dados importantes referentes aos seres vivos; coleciona diferentes espécimes, conservando-os, identificando-os e classificando-os, para permitir o estudo da evolução e das doenças das espécies e outras questões; realiza estudos e experiências de laboratórios com espécimes biológicos, empregando técnicas, como dissecação, microscopia, coloração por substâncias químicas e fotografia, para obter resultados e analisar suas aplicabilidade; prepara informes sobre suas descobertas e conclusões, anotando, analisando e avaliando as informações obtidas e empregando técnicas e estatísticas, para possibilitar a utilização desses dados em medicina, agricultura, fabricação de produtos farmacêuticos e outros campos, ou para auxiliar futuras pesquisas.

Pode cultivar plantas, criar animais e outras espécimes vivas em laboratório, com fins experimentais.

O mercado de trabalho para biólogos, apesar de bastante amplo, tem sido estável. Há perspectiva de crescimento com o surgimento de pesquisas em áreas relativamente novas como a biotecnologia e a genética. Existem cerca de 20 mil profissionais registrados e a cada ano formam-se cerca de três mil. Os concursos públicos são raros. Algumas instituições, no entanto, convocam profissionais sob contrato temporário. As melhores oportunidades de emprego estão na indústria farmacêutica, em hospitais e na área de meio ambiente. Com a crescente preocupação dos governos e da população com a ecologia, muitos profissionais de ciências biológicas estão sendo chamados para trabalhar em projetos de recuperação de áreas devastadas ou na elaboração de relatórios de impacto ambiental (RIMA) e estudos de impacto ambiental (EIA), obrigatórios antes da realização de obras de grande porte como construção de estradas e hidrelétricas. A pesquisa médica também ganhou grande impulso nas últimas décadas, principalmente na área de imunologia e genética. A biotecnologia é a atual vedete da profissão, e vem recebendo investimento tanto de empresas privadas como do governo.

Além das atividades de pesquisa – básica ou aplicada – e de ensino em instituições de ensino superior, médio e fundamental, cursos pré-vestibulares, institutos de pesquisa governamentais ou em departamentos de pesquisa e desenvolvimento de indústrias, os biólogos desenvolvem as seguintes atividades: educação ambiental: orientar o público sobre formas de preservação do meio ambiente em zoológicos, parques, jardins e escolas; . indústria: realizar pesquisas para o desenvolvimento de novos produtos ou no controle de qualidade da produção nas indústrias alimentícia, farmacêutica, de extração vegetal e química; . controle ambiental: trabalhar em projetos de controle de poluição, reflorestamento ou recuperação de florestas; prestar consultoria sobre impacto ambiental para empresas ou órgãos governamentais; . biomédico: fazer diagnósticos de patologias em laboratórios privados de análise clínicas ou em hospitais da rede pública e particular; trabalhar na pesquisa médica para produção de remédios e vacinas em instituições governamentais ou na indústria farmacêutica.

Pesquisadores trabalham em laboratórios de pequeno e médio portes, normalmente em equipe. A jornada é de 40 horas semanais, mas alguns experimentos podem demorar, fazendo com que permaneçam nos laboratórios além do expediente normal. São utilizados equipamentos como microscópios, computadores, termômetros. Algumas experiências são realizadas com cobaias, como ratos, sapos, macacos e coelhos. A pesquisa de campo – anotação de dados e coleta de material para análise em laboratório -, muitas vezes necessária em especialidades como botânica e zoologia, implica deslocamentos ou viagens para florestas ou áreas distantes, de infra-estrutura precária. Na área de educação ambiental as atividades podem ser realizadas em fins de semana e feriados. Biólogos que se dedicam a atividades de ensino também costumam trabalhar 40 horas semanais em universidades. Nas escolas do ensino médio e fundamental há profissionais que chegam a dar 10 aulas por dia, com duração de 50 minutos cada. Em geral, o professor leciona em várias escolas, o que exige deslocamento constante.

Dúvida de Carreiras Engenharia Genética
Existem cerca de 180 instituições de ensino superior que oferecem cursos de graduação na área de ciências biológicas, entre elas:

Universidades federais (UF):

CE: Fortaleza – UFC
DF: Brasília – Universidade de Brasília (UNB)
MG: Belo Horizonte – UFMG
MG: Juiz de Fora – UFJF
MG: Uberlândia – UFU
MG: Viçosa – UFV
PE: Recife – UFPE
PR: Curitiba – UFPR
RJ: Niterói – UF Fluminense (UFF)
RJ: Rio de Janeiro – UFRJ
RS: Pelotas – UFPEL
RS: Porto Alegre – UFRGS
RS: Santa Maria – UFSM
SC: Florianópolis – UFSC
SP: São Carlos – UFSCAR
Universidades estaduais (UE):
BA: Feira de Santana – UEFS
PR: Londrina – UEL
PR: Maringá – UEM
PR: Ponta Grossa -UEPG
RJ: Campos, Norte Fluminense – UE do Norte Fluminense (UENF)
RJ: Rio de Janeiro – UERJ
SP: Campinas – UE de Campinas (UNICAMP)
SP: Botucatu, Rio Claro, São José do Rio Preto – UE Paulista (UNESP)
SP: São Paulo, Ribeirão Preto – Universidade de São Paulo (USP)
Pontifícias universidades católicas (PUC):
PR: Curitiba – PUC-PR
RS: Porto Alegre – PUC-RS
SP: Campinas – PUCCAMP
SP: São Paulo – PUC-SP

Dúvida de Carreiras Engenharia Genética.

Publicado em:Dúvidas

Você pode gostar também