Dúvidas respondidas de História VII - Vestibular1

Dúvidas respondidas de História VII

Dúvidas respondidas de História VII

Dúvidas respondidas de História VII

Dúvidas respondidas de História VII – Pergunta: Me diga em poucas palavras algo sobre Marx e Engels para poder fazer uma prova amanhã.

Dúvidas respondidas de História VII – Resposta: Segundo Marx, o homem e suas atividades são reflexos das condições materiais que o cercam. Estas são determinadas pela História, que é resultado do confronto de classes sociais antagônicas que lutam pela hegemonia. A luta de classes é o motor da história e só desaparece com a instalação de uma sociedade comunista, sem divisão de classes ou exploração do trabalho, e baseada na solidariedade. O Estado é o instrumento pelo qual a classe dominante exerce essa hegemonia sobre as demais.

Karl Heinrich Marx (1818-1883), filósofo, economista e militante revolucionário alemão de origem judaica. Estuda filosofia nas universidades de Berlim e Iena. Em 1842 assume em Colônia a chefia da redação do Rheinische Zeitung. Seus artigos pró-democracia irritam as autoridades e o levam a exilar-se em Paris dois anos depois. Ali conhece Friedrich Engels, com quem manteria colaboração até o fim da vida. Em 1848 o início de revoluções na França e na Alemanha coincide com a publicação do Manifesto comunista, em que Marx e Engels afirmam que a solidariedade internacional dos trabalhadores em busca de sua emancipação supera o poder dos Estados nacionais. Junto com Engels prega uma revolução internacional que derrube a burguesia e implante o comunismo, nova sociedade sem classes. Publica em 1867 o primeiro volume de sua obra mais importante, O capital. Os volumes seguintes dessa obra, para a qual reuniu vasta documentação, seriam publicados somente depois de sua morte. Para Marx, o capitalismo é a última forma de organização social baseada na exploração do homem pelo homem. Marx é sustentado por Engels durante a maior parte de sua vida e morre no exílio em Londres.

Friedrich Engels (1820-1895), filho de um rico industrial de Barmen (Alemanha), é o principal colaborador de Karl Marx na elaboração das teorias do materialismo histórico. Na juventude, fica impressionado com a miséria em que vivem os trabalhadores das fábricas de sua família. Quando estudante, adere a ideias de esquerda, o que o leva a aproximar-se de Marx. Assume por alguns anos a direção de uma das fábricas do pai em Manchester e suas observações nesse período formam a base de uma de suas obras principais, A situação das classes trabalhadoras na Inglaterra, publicada em 1845. Muitos de seus trabalhos posteriores são produzidos em colaboração com Marx, o que lhe valeria a fama injusta de ser apenas um ajudante. Escreve sozinho, porém, algumas das obras mais importantes para o desenvolvimento do que viria a ser chamado de marxismo, como Ludwig Feuerbach e o fim da filosofia alemã, A evolução do socialismo de utopia a ciência e A origem da família, da propriedade privada e do Estado.

 

Dúvidas respondidas de História VII – Pergunta: Gostaria de saber o que Marx quis dizer ao citar a infra-estrutura e a superestrutura e quais suas principais ideias?

Dúvidas respondidas de História VII – Resposta: Ele apenas fez uma comparação… como se a sociedade fosse um edifício. Que era dividido em duas estruturas…

infra-estrutura: são as fundações do edifício… no caso da sociedade… as forças econômicas.

superestrutura: No caso… o próprio formato grandioso… o prédio inteiro, que no caso da sociedade, representa as ideias, costumes e instituições.

Na percepção de Marx, a primeira condição de toda a história é a existência de seres humanos vivos, isto é, o primeiro ato histórico desses indivíduos, por meio do qual eles se diferenciam dos animais. Não é o fato de eles pensarem, mas o de começarem a produzir seus meios de existência.

Segundo Marx, o que os indivíduos são, depende, portanto, das condições materiais da sua produção. A partir daí, os homens procuram trabalho para garantir as suas necessidades básicas de sobrevivência. Por conseguinte, os homens, ao produzirem seus meios de existência através do trabalho, produzem indiretamente a própria vida material e imaterial (ideias, crenças etc.). A produção desses meios de sobrevivência depende da natureza dos meios de existência já encontrados e que eles precisam reproduzir.

É a partir da criação da necessidade, da satisfação da necessidades e da recriação de necessidades que o homem diferencia-se do animal e produz e dá movimento à história. A partir da divisão do trabalho o homem evolui para o aperfeiçoamento da tecnologia e para o individualismo. Os homens vão se distanciando uns dos outros e, com isso, efetiva-se o processo de alienação do trabalhador. A partir disso, configura-se a exploração do seu trabalho, particularmente no sistema capitalista. Sem prestar atenção ao fator humano, sem preocupar-se com os desejos e necessidades humanas, a classe dominante no capitalismo joga a classe dominada à margem da ruína, efetivando por assim dizer, a alienação da mesma. Para Marx, a sociedade divide-se em infra-estrutura (é a estrutura econômica, formada das relações de produção e forças produtivas) e superestrutura (dividido em estrutura jurídico- política e estrutura ideológica). Estas formam um conjunto de ideias que determina a classe social que, através de sua ideologia, defende seus interesses.

Dúvidas respondidas de História VII – Principais ideias Marxistas:

Forças Produtivas – Expressam a posição do homem com relação às coisas e às forças da natureza utilizadas para a criação dos bens materiais. A situação das forças produtivas indica com que instrumentos de trabalho os homens estão produzindo os bens materiais e expressa o comportamento da sociedade para com as forças da natureza. O desenvolvimento das forças produtivas e dos instrumentos de trabalho constitui a base da evolução do modo de produção dos bens materiais

Dúvidas respondidas de História VII -Relações de Produção – Indicam a quem pertencem os meios de produção e expressam as relações que os homens travam entre si no processo de trabalho. Todo o sistema da vida social, assim como a infra-estrutura da sociedade são determinados pelo caráter das relações sociais de produção, que influenciam o desenvolvimento das forças produtivas. Das relações de produção dependem as leis econômicas de cada modo de produção, as condições de vida e de trabalho dos trabalhadores e outros fatores que influem sobre o desenvolvimento das forças produtivas.

O Modo de Produção constitui a base do regime social e determina o seu caráter, inclusive a forma de organização da sociedade. A história do desenvolvimento da sociedade é a história do desenvolvimento da produção, que se diferencia em várias etapas históricas.

As forças produtivas constituem as condições materiais de toda a produção. Qualquer processo de trabalho implica: determinados objetos, isto é, matérias-primas identificadas e extraídas da natureza; e determinados instrumentos, isto é, conjunto de forças naturais já adaptadas e transformadas pelo homem, como ferramentas ou máquinas, utilizadas segundo uma orientação técnica específica.

As relações de produção são a forma pelas quais os homens se organizam para executar a atividade produtiva. Elas se referem às diversas maneiras pelas quais são apropriados e distribuídos os elementos envolvidos no processo de trabalho: as matérias-primas, os instrumentos, os próprios trabalhadores e o produto final. Assim, as relações de produção poder ser: escravistas (como na Antiguidade), servis (como na Europa feudal), capitalistas (como na indústria moderna). Forças produtivas e relações de produção são condições naturais e históricas de toda atividade produtiva que ocorre em sociedade. A forma pela qual ambas existem e são reproduzidas numa determinada sociedade constitui o que Marx denominou de modo de produção. Para Marx, o estudo do modo de produção é fundamental para se compreender como se organiza e funciona uma sociedade. As relações de produção, nesse sentido, são consideradas as mais importantes relações sociais. Das relações de produção dependem as leis econômicas de cada modo de produção, as condições de vida e de trabalho dos trabalhadores e outros fatores que influem sobre o desenvolvimento das forças produtivas.

As formas de família, as leis, a religião, as ideias políticas, os valores sociais são aspectos cuja explicação depende, em princípio, do estudo do modo de produção. A história do homem é, portanto, a história do desenvolvimento e do colapso de diferentes modos de produção que são modos de se conseguir os meios de vida materiais, necessários para a sobrevivência dos homens e o desenvolvimento da sociedade. Historicamente, cada modo de produção representa a unidade das forças produtivas e das relações sociais de produção, o que pode ser visto numa dada Formação Histórica.

Analisando a história, Marx identificou alguns modos de produção específicos: sistema comunal primitivo, modo de produção asiático, modo de produção antigo, modo de produção germânico, modo de produção feudal, e modo de produção capitalista. As relações sociais são inteiramente interligadas às forças produtivas. Adquirindo novas forças produtivas, os homens modificam o seu modo de produção, a maneira de ganhar a vida, modificam todas as relações sociais.

Cada qual representa passos sucessivos no desenvolvimento da propriedade privada e do advento da exploração do homem pelo homem. Em cada modo de produção, a desigualdade de propriedade, como fundamento das relações de produção, cria contradições básicas com o desenvolvimento das forças produtivas. Essas contradições se acirram até provocar um processo revolucionário, com a derrota do modo de produção vigente e a ascensão de outro.

Vestibular1

O melhor site para o Enem e de Vestibular é o Vestibular1. Revisão de matérias de qualidade e dicas de estudos especiais para você aproveitar o melhor da vida estudantil. Todo apoio que você precisa em um só lugar!

Deixe uma resposta